Coimbra  21 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

António Barreiros

Um reitor olímpico

13 de Fevereiro 2019

A Universidade de Coimbra já conhece o seu Magnífico Reitor para a temporada de 2019/2023, o Prof. Doutor Amílcar Falcão, docente da Faculdade de Farmácia.

A perceber-se pelo lema que apresentou à sua candidatura, Amílcar Falcão, joga a sua missão em fundos olímpicos.

“Citius, Altius e Fortius”, ou seja, “mais alto, mais forte e mais longe” é a sua bandeira reitoral.

Tratando-se de um forte slogan, pode ser que, e desta feita, a Universidade de Coimbra consiga redimensionar-se, reprojectar-se, reagrupar-se, rejuvenescer-se, reerguer-se, reorganizar-se, reafirmar-se, revigorar-se, reprogramar-se, reanalisar-se e reaproximar-se da comunidade onde nasceu, na Regional, na Nacional e na Internacional.

Aliás, o novo Magnífico Reitor defende uma maior visibilidade nacional e internacional da vetusta casa de ensino que vai comandar.
Uma Instituição com um histórico tão singular quão cheio de traços magnânimos tem de deixar a sua concha, tem de abandonar a sua redoma, necessita de outro vigor, tem de se desafectar do seu umbigo e tem de fazer ecoar a sua lição…

Não lhe sobejará futuro se continuar apegada a estilos passadistas, a um isolacionismo que aparta e menoriza, a ferretes que a desviam dos caminhos deste tempo e a estigmas que não a perfilam com os desafios de um futuro cheio de novas tecnologias, de mudanças e de invenções.

Carregada de saberes e de experiências do mundo das Ciências, das Letras, das Artes e dos Conhecimentos, a Universidade de Coimbra tem de se libertar de cátedras altaneiras, de majestáticas posturas, de torres de papel, de políticas divisionistas, de planos confusos, de programas peregrinos e de “ratos” de corredores…

Coimbra, o País e o Mundo merecem uma Universidade que seja referência, farol, conduta, projecção, atitude, abertura, ajuste contemporâneo, modéstia mas pro-activa e prossiga a sua propositura de inovação, acompanhando a vida.

A Universidade de Coimbra tem de manifestar-se apoderada de um sentimento de construir um novo ciclo, assim como deve continuar a ser irreverente, quanto baste, para se fazer ouvir, deixando ecoar a sua voz assente na tradição, na história e na matriz de ensino que a deixaram viver mais de 700 anos.

Ao Magnífico Reitor, ora eleito, desejamos que consiga ter forças para materializar “Citius, Altius e Fortius”.