Coimbra  22 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho

Na Igreja Matriz de Botão: Cantares ao Menino e aos Reis

26 de Janeiro 2018

17 - João Pinho Botão

 

A quase milenar Igreja Matriz, da freguesia de Botão, dedicada a S. Mateus, recebeu no passado sábado, dia 20, pelas 20h30, o II Encontro “Cantares ao Menino e aos Reis”, organizado pelo Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Souselas, com apoio da Câmara Municipal de Coimbra.

Coube a João Pardal, pelo Grupo de Souselas, dar as boas vindas aos grupos convidados – Grupo Etnográfico e Folclórico da Granja do Ulmeiro e Grupo Regional da Pampilhosa de Botão – enquadrando técnica e culturalmente a actuação no contexto mais vasto das «tradições portuguesas de raiz popular e religiosa».

Este tipo de encontros é um momento importante para a divulgação pública da actividade produzida pelos grupos etnográficos e folclóricos, que procuram exaltar os valores e tradições regionais – neste caso pelo modo de trajar e cantar. Não obstante as dificuldades que têm de contornar: não só as sazonais e intrínsecas (como as gripes que afastam os mais idosos e vulneráveis destes momentos tão apreciados, ou a dificuldade em recrutar novos elementos); mas também extrínsecas, de enquadramento cultural autárquico, onde sobressai quer o evidente déficit de apoio financeiro, quer a dificuldade, por deformação primária de certos agentes, da compreensão da sua importância social e comunitária.

Como afirmou Margarida Branco, do Grupo da Pampilhosa, vai valendo, acima de tudo e de todos «a força dos afectos que une o grupo», sentimento partilhado por Catarino Felício, membro do Grupo da Granja do Ulmeiro, que acentuou a vontade colectiva em «preservar e perpetuar, os cantares religiosos dos Campos do Mondego, em especial as recolhas efectuadas na freguesia».

Ao longo de duas horas ininterruptas de actuação, foram entoados cerca de 20 cantares pelos grupos participantes no evento cultural. Cite-se, a título de exemplo, a sequência de seis cantares apresentada pelo Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Souselas, onde a dupla faceta religiosa/popular esteve bem patente: Bendito louvado sejas/S. José/Noite de Natal/Janeiras Velhas/Janeiras Vivas e Trigo, Nozes e Marmelada.

A terminar, o sr. padre Luís Pinho felicitou os grupos presentes, incitando-os a continuarem os seus trabalhos, e agradeceu a presença de todos aqueles que se dignaram assistir ao encontro.

Em Botão, apesar do frio e de diversas condicionantes, voltou a fazer-se História!

(*) Historiador e investigador