Coimbra  25 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho

Lendas: A costureirinha de Eiras

22 de Fevereiro 2019

Lendas Eiras

Contam os mais antigos habitantes do lugar de Eiras, hoje sede da União de Freguesias de Eiras e S. Paulo de Frades, que em tempos antigos e na sequência de uma peste que varreu a região, fazendo adoecer parte significativa do povo e ceifando muitas vidas, foi, um dia, levado para o cemitério de Eiras, o cadáver de uma menina de tenra idade, que havia sido encontrado e abandonado num dos muitos caminhos que uniam Eiras a Coimbra.

Na ausência de quem reclamasse o corpo, sem nome, identificação de origem ou paternidade, as pessoas da terra comoveram-se com a história e começaram a colocar flores na campa da menina desconhecida, em sinal de carinho, respeito e homenagem. Durante muito tempo, o assunto tornou-se o tema preferencial de várias conversas, não só na aldeia de Eiras mas também nas outras povoações da freguesia, das quais emergiam variadas opiniões sem que nenhuma tivesse sido alguma vez comprovada.

Desde então, junto da sua sepultura e a cada ano que se completa sobre o seu enterramento há quem afirme ouvir o som de uma tesoura a cortar tecido seguido do toque metálico do instrumento a pousar na mesa – sinais que muitos vêm interpretando como referência à profissão daquela jovem desconhecida: aprendiz de costureira, “costureirinha” para o povo.

(*) Historiador e investigador