Coimbra  22 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho

Curiosidades: O lobo do Portugal dos Pequenitos

18 de Janeiro 2019

O lobo é um animal temido pelas pessoas na Península Ibérica desde tempos remotos. A alegada ferocidade do lobo e o roubo de animais de criação levaram à caça sistemática destes canídeos, que tiveram sua área de distribuição geográfica muito reduzida. Enquanto que no início do século XX os lobos ainda se distribuíam por quase todo o território continental português, calcula-se que hoje esses animais ocupem apenas 20 por cento da sua área de distribuição original.

Apesar de a caça ser hoje proibida, o lobo ainda é ameaçado pela destruição da vegetação nativa e a construção de grandes infraestruturas, como autoestradas, que fragmentam os habitats. A diminuição do número de presas naturais do lobo, como o javali, o corço e o veado, levam os lobos a atacar animais domésticos e a entrar em conflito com as populações rurais.

Em meados do séc. XX, o médico e cirurgião Bissaya-Barreto, decidiu incluir no Portugal dos Pequenitos, como exemplo de animal típico de Portugal, um lobo ibérico de grande porte que se destacava e surpreendia os visitantes no espaço que lhe foi destinado: o monte com a austera representação de um “dolmen”, dos diversos que a terra teve, sepulcros da época neolítica, voltado a sul e confinante com a rua da Feitoria dos Linhos.

Sucede que os habitantes desta rua começaram a sentir incómodo com os uivos nocturnos do lobo, em especial nas noites de lua cheia, motivo pelo qual Bissaya-Barreto acedeu – contrariado é certo – em retirar o animal, devolvendo-o à liberdade, mantendo apenas em cativeiro os animais de criação doméstica que também há meia dúzia de anos foram retirados do Portugal dos Pequenitos, dizem que por ordem da ASAE.

(*) Historiador e investigador