Coimbra  20 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Quatro nomes de Coimbra no topo de listas para o PE

15 de Fevereiro 2019

Marisa Matias vai repetir o estatuto de principal candidata do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu, sendo expectável que haja mais nomes associados a Coimbra nos lugares cimeiros de outras listas.

A eleição dos futuros eurodeputados, agendada para 26 de Maio, mobilizará Maria Manuel Leitão Marques, catedrática da Universidade de Coimbra, através da lista do PS, imediatamente a seguir a Pedro Marques, razão por que, sendo ambos ministros, irão ser substituídos no XXI Governo.

O eurodeputado António Marinho e Pinto, eleito pelo Movimento Partido da Terra (MPT) em 2014, deverá recandidatar-se, encabeçando, este ano, a candidatura do Partido Democrático Republicano (PDR).

Álvaro Amaro, líder do Município da Guarda e igualmente possuidor de ligações a Coimbra, é tido como certo na lista do PSD para o Parlamento Europeu, devendo figurar num dos lugares cimeiros.

Socióloga, Marisa Matias é investigadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e perfilou-se, há três anos, para a Presidência da República.

Marinho e Pinto dedicou-se, durante anos, em Coimbra, à advocacia, tendo sido também nesta cidade que Álvaro Amaro deu início à actividade profissional de economista.

Outrora secretária de Estado, a coadjuvar o então ministro da Administração Interna António Costa (2005 -07), Maria Manuel Leitão Marques ingressou, em 2015, no actual Governo para ser ministra da Modernização Administrativa e titular da Presidência do Conselho.

Caberá a Pedro Nuno Santos, secretário de Estado cessante dos Assuntos Parlamentares, suceder a Pedro Marques na tutela do Equipamento Social, mas a orgânica do Governo irá ser reajustada, devendo o secretário de Estado Nelson de Souza ascender a ministro do Planeamento (sob cuja alçada irá ficar o dossiê dos fundos provenientes da União Europeia).

Para substituir Pedro Nuno Santos na função de articulação do Executivo com a Assembleia da República fala-se da secretária de Estado Mariana Vieira da Silva, adjunta do primeiro-ministro, mas a escolha poderá recair em Duarte Cordeiro (vereador da Câmara Municipal de Lisboa). Acresce que Ana Catarina Mendes (deputada e secretária-geral adjunta do PS) também é tida como potencial sucessora de Pedro Nuno, ou substituta de Maria Manuel apenas com a área da Modernização Administrativa, sendo que este último cenário implica a indigitação de outra pessoa para titular da Presidência do Conselho de Ministros.

Por um lado, a promoção de Nuno Santos permite a António Costa premiá-lo pelo desempenho como governante no hemiciclo de S. Bento, onde exerceu papel de relevo na obtenção de entendimentos entre o PS, o Bloco de Esquerda (BE), o PCP e o Partido “Os Verdes”; por outro, aprovado o Orçamento do Estado para 2019, o primeiro-ministro pode prescindir dele na Secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares.

Potencial sucessor de António Costa na liderança socialista, na próxima década do presente século, Santos foi secretário-geral da JS e timoneiro da Federação distrital do PS/Aveiro.
Além de Pedro Nuno, são potenciais líderes do PS o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, a secretária-geral adjunta do partido, Ana Catarina Mendes, e Pedro Marques.