Coimbra  23 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mata do Bussaco recebe mais de 1,5 milhões de euros de investimentos

21 de Março 2019

Um sistema pioneiro de videovigilância será instalado no Bussaco, no âmbito de um conjunto de investimentos superior a 1,5 milhões de euros na valorização e protecção da mata e reabilitação do património edificado, foi hoje anunciado.

O anúncio deste investimento total a dois anos foi feito no Bussaco (Mealhada) pelo secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, durante uma sessão que assinalou o Dia Mundial da Árvore ou da Floresta.

O investimento na videovigilância, num valor estimado de 55 000 euros, é apenas uma pequena parte do que está programado para a Mata do Bussaco, que é Monumento Nacional e está na corrida para Património Mundial da UNESCO.

As principais medidas estão contidas num protocolo de colaboração e num memorando de entendimento que foram assinados, hoje, entre o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em representação do Estado, a Câmara Municipal da Mealhada e a Fundação Mata do Bussaco, que gere os 105 hectares da mata.

A autarquia assume para os próximos dois anos o compromisso de continuar a recuperação do património edificado (existem no perímetro da mata 140 edificações), recorrendo a fundos comunitários e a capitais próprios.

Neste momento, a autarquia liderada por Rui Marqueiro tem em curso as obras de recuperação do Convento de Santa Cruz e das Capelas dos Passos e Via Sacra, num valor estimado de um milhão de euros.

No âmbito dos investimentos a dois anos, mas fora dos protocolos assinados hoje, somam-se 300 000 euros com os salários de quatro equipas de sapadores florestais, fruto de colaboração dos Municípios da Mealhada, Mortágua e Penacova com o ICNF.

O objectivo, frisa o secretário de Estado, é “proteger o espaço circundante para proteger a Mata, numa visão integradora”.

O Fundo Florestal Permanente assegurará os restantes investimentos na reabilitação da Mata, que sofreu prejuízos recentes de meio milhão de euros devido à passagem da tempestade tropical Leslie.

Para além do sistema de videovigilância inovador, que será operado em articulação com a Autoridade Nacional de Protecção Civil, está previsto o apoio ao voluntariado, combate as espécies invasoras, limpeza das faixas de combustível junto aos caminhos e edificações, melhoria das acessibilidades, aquisição de maquinaria, retirada de árvores atingidas pela tempestade e reflorestação das clareiras, com milhares de árvores de espécies autóctones.

“Será uma grande operação que permitirá proteger a Mata e torná-la ainda mais atraente para quem nos visita”, resume António Gravato, presidente da Fundação.

No memorando de entendimento ficou ainda expresso o desejo de “promover, valorizar e inovar, de acordo com as potencialidades da serra do Bussaco, tornando-a um motor de desenvolvimento dos concelhos em complementaridade com outros sectores e actividades”.

“Escolhemos o Bussaco para assinalar o Dia Mundial da Árvore ou da Floresta pelo valor simbólico deste local exemplar”, referiu Miguel Freitas, sublinhando a importância da gestão das matas públicas.