Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Concluídas obras de sete milhões para reforço nas pontes da Aguieira

26 de Dezembro 2017

A Infraestruturas de Portugal acaba de dar por concluídos os trabalhos de reabilitação e reforço estrutural nas pontes da rede viária da Aguieira.

A empreitada, que teve um investimento de sete milhões de euros, permitiu reabilitar os pilares e fundações das pontes sobre o rio Criz (I e II), na Estrada Nacional 234, nos concelhos de Santa Comba Dão e Mortágua, bem como na ponte de S. João das Areias, na Estrada Nacional 234-6, no concelho de Tábua.

Esta obra pretendia reforçar “as condições de segurança e de circulação na rede viária sobre a albufeira da Aguieira, nos distritos de Viseu e Coimbra”, explica a Infraestruturas de Portugal.

No âmbito da empreitada agora terminada foram executados, entre outros, os seguintes trabalhos:

Pontes do Criz I (vão total com 180 metros de extensão) e Criz II (vão total com 300 metros de extensão):

  • Substituição das fundações existentes nos pilares localizados no interior da albufeira, através da execução de estacas;
  • Reforço dos fustes de pilares da ponte sobre o rio Criz II, através da execução de “encamisamento” em betão armado;
  • Reparação de patologias estruturais e de durabilidade nos pilares e capitéis das duas pontes;
  • Levantamento do tabuleiro e substituição dos aparelhos de apoio da ponte sobre o rio Criz.

Ponte de S. João de Areias (vão total com 260 metros de extensão):

  • Reforço das fundações com estacas, nos pilares localizados no interior da albufeira;
  • Reforço das fundações com microestacas;
  • “Encamisamento” até ao nível de máxima cheia e preenchimento do interior com betão;
  • Reabilitação geral até à cota de topo de todos os pilares;
  • Protecção geral da face exterior dos pilares.

“A concretização destas intervenções, de elevada complexidade ao nível técnico, assegura a reposição dos níveis de estabilidade estrutural nas travessias sobre a albufeira da Aguieira bem como o levantamento dos condicionamentos à circulação anteriormente existentes”, conclui a empresa.