Coimbra  21 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Estudantes fomentam consumo de leguminosas

21 de Maio 2018

Aumentar o leque de alternativas ao consumo de proteína animal é o objectivo de quatro estudantes da Universidade de Coimbra apostados em desenvolver o inovador “Legutê” – leguminosas em patê.

Segundo a UC, a gama “Legutê” é composta por três variedades de patês – feijão, ervilhas e tremoço – sendo que se trata de produtos ricos em proteína, fibra, vitaminas e antioxidantes e com baixo teor de gordura e zero colesterol.

A ideia surgiu na unidade curricular “Empreendedorismo: da ideia ao negócio” do mestrado em Biodiversidade e biotecnologia vegetal do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC.

Bruno Simões, Jéssica Tavares, Mariana Correia e Tércia Lopes verificaram que a oferta de proteína não animal no mercado é deficitária.

Após a realização de várias experiências, as leguminosas eleitas são o feijão, a ervilha e o tremoço. “Legutê”, produto prático e ideal para qualquer ocasião, distingue-se pela resposta a uma escassa oferta de proteína não animal, sendo indicado para vegetarianos. Acresce que é rico em fibras, vitaminas e sais minerais.

Com a produção desta nova gama de patês de leguminosas, os jovens pretendem ainda contribuir para a “diminuição de desperdícios alimentares”.

A próxima fase passa por “alargar o conceito a outras leguminosas e, também, pela procura de investidores junto da indústria alimentar ou, porventura, pela criação de uma «start-up» (empresa embrionária) com vista à comercialização dos novos patês de grande valor nutritivo”, indicam Bruno Simões, Jéssica Tavares, Mariana Correia e Tércia Lopes.

O projecto foi escolhido para disputar a final da fase nacional do concurso internacional Ecotrophelia, promovido pela associação PortugalFoods, o qual vai decorrer a 25 de Maio.

 

 

Patês desenvolvidos UC