Coimbra  20 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Candidatura a capital europeia já tem apoios internacionais

4 de Janeiro 2019

Nuno Freitas, Luís Filipe Menezes, Carina Gomes, Luís de Matos, Cristina Robalo Cordeiro e António Pedro Pita

 

A candidatura de Coimbra a Capital Europeia de Cultura 2027 tem reunido vários apoios, em particular a nível regional, mas conseguiu agora um reconhecimento internacional, por parte do Lions da Ilha do Governador, do Brasil, sendo expectável que o mesmo venha a acontecer com os 27 Lions brasileiros.

Este é um dos trunfos apresentados pelo grupo de trabalho, liderado por Luís de Matos, que hoje deu conta do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos meses par tornar este projecto numa candidatura vencedora.

O apoio do Lions é sentido, também, na representação deste organismo a nível regional, que tem “ contribuindo de forma activa”, com reflexões e sugestões, esperando o grupo de trabalho que o mesmo venha a acontecer a nível nacional.

Quanto ao apoio do Lions do Brasil, a ideia partiu depois de um encontro de aniversário dos Lions em Portugal, no qual estiveram presentes todos os clubes nacionais e uma representação do lionismo no Brasil e na Tunísia, onde foi possível apresentar as grandes linhas da candidatura de Coimbra.

O entusiasmo dos promotores de Coimbra estendeu-se ao governador do distrito de Minas Gerais, no Brasil, que “vai propor o apoio da sua região à candidatura conimbricense”, bem como apresentará a mesma proposta aos 27 governadores dos Lions do Brasil. Ainda neste âmbito, o presidente dos Lions da Ilha do Governador (Brasil) atribuiu, durante o encontro, um Troféu à Candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura, “selando assim o comprometimento anteriormente assumido pelo governador de Minas Gerais”, afirmou Luís de Matos.

No encontro de hoje, o grupo deu, também, conta dos vários encontros e audições que tem tido com diversos agentes e operadores culturais, no sentido de angariar cada vez mais aliados. Foi o caso do Instituto Politécnico de Coimbra, que se junta como parceiro oficial à Universidade de Coimbra e ao Turismo do Centro, bem como a Fundação de Bissaya Barreto, com a qual essa parceria poderá estar para breve.

Outra das novidades é o encontro com a ministra da Cultura para a próxima segunda-feira (07), que visa envolver o Ministério no projecto e definir prazos, para que “esta seja uma candidatura muito bem elaborada e ao serviço do país e da cultura”, salientou Luís de Matos.

A importância do envolvimento da população

No seguimento da intenção de envolver a população conimbricense e da região de Coimbra nesta candidatura, realizar-se-á, no dia 31 de Janeiro, uma “Noite das Ideias”, uma iniciativa em parceria com a Alliance Française e que convida à troca e partilha de ideias. Nesta sessão em particular, serão convidadas algumas personalidades da cidade para, durante cinco minutos, partilharem as suas ideias para Coimbra Capital Europeia da Cultura em 2027.

Ainda no âmbito da aproximação da população ao projecto, o grupo de trabalho e o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES-UC) vão lançar inquéritos de satisfação à população da cidade e também da região sobre a cultura em Coimbra. Com isto pretende-se “conhecer mais e melhor as várias dimensões da cultura neste território”, explicou António Pedro Pita, outro dos membros do grupo.

O estudo procurará analisar discursos, imagens e práticas culturais, “constituindo um documento essencial de avaliação não apenas do comportamento do público que frequenta os eventos e espectáculos – e dos cidadãos em geral – e do bem-estar cultural da cidade, mas também do conhecimento que Coimbra possui de si própria e da sua atitude cidadã perante o fenómeno cultural”, salientou Luís de Matos, adiantando que esta é uma excelente forma de “sentir o pulsar da cidade e escutar os seus habitantes, e visando uma auscultação ainda mais alargada”.

Os resultados deverão ser conhecidos no mês de Abril.

Também durante estes meses de trabalho foi realizada a primeira reunião do Conselho Consultivo, a 11 de Novembro, e que conta já com cerca de 40 elementos. A ideia é ir convidando mais personalidades a juntar-se à “causa”, aumentando em número, mas essencialmente, em qualidade. Pessoas que se juntem a esta candidatura por acreditarem que “Coimbra deve ser Capital Europeia da Cultura em 2027 e se propõem contribuir com a sua visão, sabedoria, experiência e sensibilidade para que mereça esta distinção e possa ser um exemplo”, adiantou o mágico conimbricense.

Outra das resoluções acordadas pelo grupo de trabalho é a reunião do Conselho Cultural Regional que engloba os agentes culturais da cidade, chamando-os a contribuir com ideias e acções para o que será o projecto final desta candidatura.

Para 16 de Março está previsto um grande encontro internacional – o “For 1 C” – que pretende saber o que pensa quem está de fora. Trate-se “de outra face de uma consulta e de um debate alargado sem a qual a indagação do que somos e do que temos, do que sonhamos e do que queremos fazer não estará completa”. O grupo considera, por isso, imprescindível, “consultar o país, porque Coimbra (e a sua candidatura) é país, ouvir a Europa, porque Coimbra é Europa, acrescentam sentido a este jogo de um colectivo que assim se vê implicado e comprometido”.

A ideia é, depois, fazer uma análise SWOT (Força, Fraqueza, Oportunidade e Ameaças) e com a ajuda de um conjunto de personalidades nacionais e internacionais, “estabelecer um diagnóstico e definir objectivos estratégicos para a candidatura.

Neste evento, estarão presentes nomes como Boaventura de Sousa Santos; Pedro Machado; Ana Abrunhosa; José António Bandeirinha; Elias Torres Feijò; Ludovic Thilly; Isabel Pires de Lima, Artur Santos Silva; Edson Athayde e António Feijó.

“Dissemos, desde a primeira hora, que esta candidatura deveria ser um ponto de viragem, uma oportunidade que não poderíamos perder para, com espírito inclusivo e mobilizador, repensar estrategicamente a cultura em Coimbra”, sublinhou Luís de Matos, garantindo, uma vez mais, que “a candidatura não se deve esgotar no que de essencial acontecerá em 2027, procurando, acima de tudo, motivação para o futuro da cidade e da região”. Os próximos oito anos são, por isso, “um período importante e decisivo na construção de uma capital cultural que se quer europeia, exemplar e inspiradora”, concluiu.

Quer a “Noite das Ideias” como o “For 1 C” serão eventos abertos à comunidade para que a mesma possa compartilhar as suas ideias e ajudar a que a candidatura seja de todos. O grupo está, ainda, disponível para receber sugestões, essencialmente, via e-mail.

O lema continua, por isso, a ser “Quando Coimbra ganhar, todos ganham”.

Recorde-se que Aveiro, Leiria e Guarda são as outras cidades portuguesas candidatas ao título europeu.

A próxima reunião pública deste grupo de trabalho está marcada para o próximo mês de Junho.