Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Chanfana volta a ser razão para visitar a Lousã

19 de Fevereiro 2019

Ana Paula Sançana, Cooperativa Lousamel; Miguel Henriques, autarca de Poiares; Carlos Lopes, Assembleia Municipal da Lousã; Luís Antunes, presidente CM Lousã; e o chef do restaurante Villa Lausana

 

A caçoila de barro com a tradicional chanfana, as batatas cozidas e os grelos vão ser, nos próximos dias, o principal factor de atracção ao concelho da Lousã que, pelo oitavo ano consecutivo, promove o Festival Gastronómico da Chanfana, entre 22 de Fevereiro e 03 de Março.

Esta é, contudo, uma edição especial, não só pelo facto de a chanfana fazer parte da mesa vencedora do concurso “7 Maravilhas” de Portugal, mas também porque se insere na programação da Associação de Desenvolvimento do Ceira e Dueça – Dueceira para a promoção dos produtos vencedores e dos seus territórios.

A participar neste festival estão 20 restaurantes lousanenses, mais dois do que em 2018, cujas ementas se centram no produto chanfana, seja a mais tradicional ou um prato mais criativo, uma “interpretação da chanfana de uma forma diferente”.

O Festival tem como missão “manter a identidade e a tradição do prato de chanfana, mas também ajuda a abrir espaço para criar e inovar”, notou o presidente da Câmara Municipal da Lousã, Luís Antunes.

“Este Festival insere-se num programa mais vasto, que lançámos este ano, no âmbito dos quatro concelhos da Dueceira [Lousã, Vila Nova de Poiares, Miranda do Corvo e Penela[, no sentido de potenciar o produto ‘Terras da Chanfana’ e os festivas gastronómicos dinamizados em cada um dos concelhos fazem também parte dessa estratégica”, explicou o autarca lousanense.

Nesta oitava edição, a autarquia espera uma boa adesão, uma “expectativa reforçada para este ano”, até porque, afirma o autarca, “se as anteriores edições corresponderam largamente aquilo que eram os objectivos, este ano, depois da notoriedade acrescida que a chanfana e a ‘Mesa Terras da Chanfana’ teve no ano passado, a expectativa é que a procura irá aumentar”.

Para Luís Antunes, é óbvio que “a notoriedade deste produto saiu reforçada com aquele projecto, não só desta iguaria mas de todos os produtos associados”.

As expectativas estão, por isso, elevadas, esperando a organização que, uma vez mais, “o concelho da Lousã reforce a sua atractividade através da gastronomia, trazendo pessoas ao concelho e à região e que tirem partido de todas as potencialidades aqui existentes”, sublinhou Luís Antunes.

O principal objectivo passa, também, por “ajudar a quebrar a sazonalidade, a induzir negócio no território e que, através da gastronomia, esse negócio possa também irradiar para outros serviços e projectos existentes no concelho e na região”, reforçou.

A longo prazo, esta é uma forma de “dar o contributo” e apostar na “inovação e qualificação do sector da restauração”, elementos importantes para o ano de 2021 em que Coimbra será a região europeia da gastronomia.

 

Restaurantes aderentes

  • O Burgo;
  • Churrasqueira Tó dos Frangos;
  • Sabores da Aldeia;
  • Ti Lena;
  • O Gato;
  • A Viscondessa e Licor Beirão Resto-Bar;
  • Casa Velha;
  • Churrasqueira Borges;
  • Adega da Villa;
  • Villa Lausana;
  • Churrasqueira São Paulo;
  • Mimosa da Beira;
  • Casa Bacalhau;
  • Estrela Dourada;
  • Taberna Burguesa;
  • Carocha;
  • O Coche;
  • O Pancinhas;
  • Alto do Padrão;
  • Manjar da Deus