Coimbra  18 de Outubro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

António Castelo Branco

Só visto!

9 de Março 2018

 

16 - Opinião Só visto 01

Ninguém ignora a valia em termos desportivos, culturais e sociais

16 - Opinião só visto 02

Haja decoro e vergonha quanto ao que anuncia o Governo Português

16 - Opinião Só visto 03

Por via de parecer tão mal, que se retire a placa que indica o Centro Hípico

Cinco destinos é o que outras tantas placas colocadas umas abaixo das outras visam informar o que para ali há, a quem venha dos lados da Estação Velha ou entre na cidade pelo lado da Estrada da Cidreira. E gente não falta, logo nos primeiros metros após a rotunda, a utilizar as valências do parque do Choupal, onde até ali o acesso é fácil.

O diabo – sem ofensa para o dito – é depois! Até ao canil, ao gatil e à ETAR com mais buraco menos buraco também se chega, a distância não é muita… Dali para a frente é que a porca torce o rabo, e torce-o logo a partir da desconfiança que gera uma outra placa ali colocada por conta e risco do Governo Português, onde dois avisos bem explícitos não deixam marcas para dúvidas a quem pense seguir em frente; Um é quanto ao piso degredado e o outro, na sequência daquele, o que diz que não “nos” responsabilizamos por eventuais danos!

Para a frente é o Centro Hípico de Coimbra, que dista dali cerca de um quilómetro e não será necessário falar do estado calamitoso da estrada, porque o Governo Português o assume! Das valências daquela estrutura, à qual estão afectos à volta de 80 animais, escusamo-nos de falar pois ninguém ignora o que é, e quanto ao longo dos tempos ele tem representado para esta terra em termos desportivos, culturais e sociais, sem esquecer especificamente a valência formativa dos jovens que ali acorrem, por via da sua escola de equitação. E isto é tanto verdade que no decurso das acções que acontecem as entidades oficiais, nomeadamente Câmara e Turismo sempre têm colaborada nelas.

Em minha opinião, os estabelecimentos de ensino deviam tomar a iniciativa de visitar e frequentar aquele espaço e outros espaços congéneres, através de protocolos encontrados, era importante mostrar aos jovens como se lida e se trata aquele que é um animal nobre e possibilitar-lhes meios capazes de eles poderem usufruir de formação naquela área, que todos sabemos apenas está acessível a quem tem meios económicos.

E quanto ao caminho que leva até lá, ao seu estado miserável e ao chutar para o lado as responsabilidades pela sua utilização, que haja decoro e vergonha quanto ao que se escreve, quanto ao que anuncia o Governo Português. A não ser que ele não saiba disto e tal não passe de uma iniciativa isolada de algum iluminado que se doutorou a pregar cartazes!

Por via de parecer tão mal e até ao arranjo que se impõe, que se retire daquela entrada da cidade a placa que indica o Centro Hípico. Uma forma subtil de contestação!