Coimbra  17 de Novembro de 2017 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

João Pinho

Recordando João Paulo II em Coimbra

11 de Maio 2017

João Paulo II foi o 265.º Papa da história religiosa mundial. Com o nome de baptismo Karol Józef Wojtyła, (Wadowice, 18/05/1920 – Vaticano 02/04/2005) foi líder mundial da Igreja Católica Apostólica Romana de 16/10/1978 até à data de sua morte. Teve o terceiro maior pontificado documentado da história, reinando por 26 anos, cinco meses e 17 dias (só superado por São Pedro e Pio IX).

João Paulo II é considerado como um dos líderes mais influentes do século XX, sendo, recorrentemente, citado pelas benfeitorias que trouxe ao mundo: fim do comunismo na Polónia, melhoria das relações da Igreja Católica com o judaísmo, Islão, Igreja Ortodoxa, ou a Comunhão Anglicana. Em sentido contrário apontam-se-lhe críticas pela oposição à contracepção e à ordenação de mulheres.

Foi um dos líderes que mais viajaram na história, tendo visitado 129 países durante o seu pontificado. Expressava-se em vários idiomas e beatificou 1340 pessoas e canonizou 483 santos, mais do que todos os seus predecessores juntos nos cinco séculos antecedentes! Em 27 de Abril de 2014, numa cerimónia inédita presidida pelo Papa Francisco, e com a presença do Papa Emérito Bento XVI, foi declarado Santo juntamente com o Papa João XXIII.

João Paulo II foi o segundo Papa a visitar Portugal (Paulo VI foi o primeiro, em 1967), tendo-se deslocado em Maio de 1982 ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima em pagamento da promessa que fizera um ano antes, ao sobreviver ao atentado de 13/05/1981 na Praça de S. Pedro no Vaticano – que viu como intercessão de Nossa Senhora de Fátima pela coincidência com o dia das aparições marianas de 1917. Quis o destino que na noite da procissão das velas realizada no Santuário de Fátima a 12/05 fosse vítima de nova tentativa de assassinato, desta vez perpetrada pelo padre integrista espanhol, Juan Fernandez Maria Khron.

João Paulo II manteria, pelas razões acima expostas, uma especial relação com Portugal e com o Santuário de Fátima, ao qual regressou em 1992 e no ano 2000 para a beatificação dos pastorinhos Jacinta e Francisco.

Em 1982, a sua passagem por Portugal iniciou-se a 11 de Maio, tendo percorrido o país de Norte a Sul, de Braga a Coimbra, de Lisboa a Vila Viçosa. Visitaria Coimbra no dia 15/05, onde recebeu as insígnias da cidade no Estádio Municipal, passando também pela Universidade, onde lhe foi atribuído o grau de Doutor Honoris Causa por todas as Faculdades.

A sua visita ficaria assinalada tanto ao nivel da toponímia como da arte pública: no primeiro caso, pela atribuição camarária do topónimo “Largo João Paulo II” aos Arcos do Jardim; no segundo caso, com a colocação de uma estátua monumental moldada em bronze, integrada na rotunda do referido largo, de grande expressividade, representando Sua Santidade com indumentária papal, elevando os braços ao alto como se estivesse em aclamação, e mantendo a gramática semelhante a outras obras do escultor e medalhista Cabral Antunes (n.1916-f.1986).

Uma obra promovida pela Câmara Municipal de Coimbra e criada, gratuitamente, pelo referido escultor, tendo o pedestal de granito polido sido uma oferta da Câmara Municipal de Gouveia. O conjunto escultórico veio a ser inaugurado a 18 de Maio de 1985 (dia do aniversário do Papa), em cerimónia presidida pelo Núncio Apostólico em Lisboa, D. Salvatore Asta.

(*) Historiador e investigador