Coimbra  23 de Setembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Saúde: Extensão de Taveiro na penúria

9 de Abril 2018

O “decadente estado” da Extensão de Saúde de Taveiro e a falta de médicos foram objecto, hoje, de uma advertência da vereadora Madalena Abreu (PSD) em reunião da Câmara Municipal de Coimbra.

A autarca fez eco de uma carta enviada pelo médico Eduardo Francisco ao líder do Município conimbricense, Manuel Machado, e aos presidentes das juntas de duas uniões de freguesias (a de S. Martinho do Bispo / Ribeira de Frades e a de Taveiro / Ameal / Arzila), Jorge Veloso e Jorge Mendes, respectivamente.

Pertencente ao Centro de Saúde de S. Martinho do Bispo, a Extensão de Taveiro serve milhares de pessoas residentes a Poente da cidade de Coimbra num edifício que tarda em ser substituído por outro capaz de lhe conferir funcionalidade.

Manuel Machado disse que a CMC está a diligenciar no sentido de a unidade ser transferida para instalações de um antigo equipamento do Ministério da Educação (situadas perto da Escola Básica de segundo e terceiro ciclos de Taveiro).

Segundo o autarca, a outrora Direcção Regional de Educação do Centro (DREC) facultou o edifício à Direcção-Geral do Património do Estado, embora ele fosse propriedade da antiga Assembleia Distrital de Coimbra.

Sem embargo de assinalar que a Extensão de Saúde de Taveiro possui instalações que são “uma vergonha para Coimbra”, Eduardo Francisco alerta para “carência em recurso humanos médicos”, vincando que ela “pode condicionar a operacionalidade” da unidade.

“Temos, actualmente, cerca de 3 500 utentes sem garantia de consulta por falta de capacidade de resposta dos médicos em funções”, adverte Eduardo Francisco.