Coimbra  23 de Maio de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Região Centro reforça competitividade com 82 empresas gazela

10 de Maio 2018

O habitual estudo realizado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) sobre as empresas gazela revela que, em 2017, são 82 as entidades distinguidas com esse título.

As gazela caracterizam-se por serem “empresas jovens e com elevados ritmos de crescimento, que se posicionam de forma diferenciadora nos mercados, onde afirmam a sua competitividade e constroem sucesso a um ritmo acelerado, contribuindo fortemente para a criação de postos de trabalho”, esclarece a CCDRC.

“Estas estas empresas, que ‘correm’ de forma veloz na forma de fazer negócio, são determinantes para a competitividade e coesão da região Centro, tendo em conta que se distribuem por vários sectores de atividade e por todo o território”, afirma Ana Abrunhosa, presidente da CCDRC.

O estudo da Comissão do Centro, que vai já na sua sexta edição, permitiu apurar que, no entanto, houve uma quebra em relação a 2016, em que foram consideradas ‘gazela’ 87 empresas.

Em relação ao ano de 2017, a CCDRC destaca:

  •  Em termos de distribuição geográfica, estão bastante disseminadas pelo território, repartindo-se por 39 municípios da região Centro, sendo os concelhos de Coimbra e Torres Vedras os que têm um maior número, com sete empresas gazela cada, seguidos pelo município de Viseu (seis) e da Marinha Grande (quatro). Com três empresas gazela, encontram-se seis municípios: Águeda, Castelo Branco, Leiria, Mangualde, Ovar e Torres Novas;
  • Estas empresas são geradoras de um número muito significativo de postos de trabalho, pois quase triplicaram a quantidade de pessoas ao serviço entre 2013 e 2016, passando de um volume de emprego de 1 178 trabalhadores para 3 090 trabalhadores;
  •  Cerca de 56 por cento das empresas gazela apuradas foram constituídas nos anos de 2011 (17 por cento), 2012 (13 por cento) e 2013 (26 por cento) e apenas sete empresas (nove por cento do total) foram constituídas no ano de 2010;
  • Um quarto destas empresas desenvolve as suas actividades na indústria transformadora e, em conjunto com as actividades do comércio (19,5 por cento) e a construção (14,6 por cento), representam cerca de 60 por cento das empresas gazela da região;
  • O volume de negócios das empresas gazela 2017 da região Centro cresceu de forma significativa (363 por cento) entre 2013 e 2016, comprovando que, mesmo em anos de maiores constrangimentos, estas empresas conseguem continuar a expandir as suas actividades, pois facturaram 55 milhões de euros em 2013 e 256 milhões de euros em 2016;
  • Em 2016, o total de exportações destas empresas somava cerca de 82 milhões de euros, o que representava 32 por cento do volume de negócios;
  • No final de 2017, 20 empresas gazela estão já a ser apoiadas pelos Sistemas de Incentivos do Portugal 2020, num total de 31 projectos (24 dos quais no Centro 2020) que representam 21 milhões de euros de investimento elegível e 12 milhões de euros de incentivo.

O reconhecimento público destas empresas terá lugar, a 18 de Maio (sexta-feira), em Viseu, com o intuito de “dar visibilidade e notoriedade a empresários que, com muitas dificuldades e uma vida árdua de trabalho, têm sucesso e criam emprego e riqueza na região”, conclui a CCDRC.