Coimbra  20 de Outubro de 2017 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSD: Santana e Rio disputam sucessão de Passos Coelho

10 de Outubro 2017

Pedro Santana Lopes admitiu, hoje, ir candidatar-se à liderança do PSD, devido à saída de cena de Passos Coelho, disputando o cargo com Rui Rio.

O Conselho Nacional do PSD aprovou a realização de eleições directas para escolha do timoneiro do partido, realizando-se o sufrágio a 13 de Janeiro [de 2018].

Antigo primeiro-ministro (2004 -05), Santana Lopes liderou o Município da Figueira da Foz e o congénere lisboeta e, desde 2011, é provedor da SCML – Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (tendo sido reinvestido no cargo na vigência do actual Governo).

A liderança da SCML levou o jurista a declarar à SIC que fará o anúncio da candidatura “quando tiver cumprido os (…) deveres institucionais, com o Governo e com o PSD”.

“Não pedi licença a quem quer que seja para tomar a decisão”, acentuou o ex-governante.

O anúncio da candidatura de Rui Rio a sucessor de Pedro Passos Coelho irá ocorrer quarta-feira (11) à tarde.

Economista, Rui Rio foi presidente da Câmara Municipal do Porto e deputado à Assembleia da República.

Na fase em que Marcelo Rebelo de Sousa foi líder dos social-democratas, coube a Rio a função de secretário-geral de âmbito partidário, cujo desempenho deixou «mossa» nas suas relações com o actual Presidente da República.

Neste contexto, adquire relevância o encontro protagonizado, segunda-feira (09), por Rebelo de Sousa e Santana Lopes.

Ao fazer notar que a reunião tinha sido agendada há perto de um mês, o PR disse que ela serviu para analisar “o papel” da SCML no sistema económico e financeiro português.

Por outro lado, a Imprensa lisboeta de hoje dá conta da existência de apreensão na liderança do Grupo Parlamentar do PSD caso seja Rui Rio o escolhido para substituir Passos Coelho, sendo, de resto, aventada a hipótese de poucos deputados permanecerem na direcção da bancada social-democrata.