Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Projecto piloto põe utentes da CerciPenela a fazer recolha selectiva

22 de Fevereiro 2019

O Município de Penela, a CerciPenela e a ERSUC uniram-se numa experiência inovadora, para potenciar a separação dos resíduos sólidos diferenciados.

O projecto, cujos primórdios remontam a 2011, tomou, agora, um outro rumo, levando os utentes da CerciPenela a fazer a “recolha selectiva de cartão e plástico junto dos estabelecimentos industriais, comerciais e de serviços do concelho, com maior volume de produção destes resíduos e o seu reencaminhamento para valorização”, explica o Município. Esta é uma acção “com vantagens que vão desde a economia de energia até à protecção dos recursos naturais, passando pela taxa de gestão de resíduos (TGR) paga pelo Município que desce à medida que a separação aumenta”, adianta.

A nova vertente deste projecto chegou com a assinatura do “Protocolo de Dinamização e Sensibilização” entre a ERSUC – Resíduos Sólidos do Centro S.A. e a Cercipenela, permitindo, assim, “um triângulo de cooperação envolvendo a instituição, com a recolha de papel e plástico/metal porta-a-porta nas entidades aderentes; o Município de Penela com a transferência de uma verba de 1 200 euros anuais para a CerciPenela, a título de comparticipação nos custos incorridos com a operação de recolha; e a ERSUC que vai gratificar a IPSS com 80 euros por cada tonelada de papel e 220 euros por cada tonelada de plástico e/ou metal recolhido”, explica a autarquia penelense.