Coimbra  22 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Prémio de Cidadania cultural atribuído a Aguiar e Silva

3 de Janeiro 2018

Vítor Aguiar e Silva, ex-professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi distinguido, hoje, com o Prémio de Cidadania cultural – Vasco Graça Moura.

O galardão, a que corresponde um montante pecuniário de 40 000 euros, foi instituído pela sociedade Estoril-Sol em parceria com a Editora Babel.

Aguiar e Silva, 78 anos de idade, transferiu-se da UC para a congénere do Minho em 1989, tendo sido reconhecido, pelo Presidente da República, como mestre e pedagogo. Tem-se dedicado à investigação da literatura portuguesa dos períodos maneirista (século XVI), barroco (século XVIII) e modernista (primeira metade do século XX) e ao estudo da teoria da literatura.

Entre as obras de Vítor Aguiar e Silva contam-se “A lira dourada e a tuba canora”, editada em 2008, e “Teoria da literatura”, obra de referência do autor, publicada originalmente em 1967.

O investigador publicou, ainda, entre outros livros, “Camões: labirintos e fascínios”, que lhe valeu o Prémio de Ensaio da Associação Portuguesa de Críticos Literários. Também foi laureado com o Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores.

Do júri do Prémio de Cidadania cultural, presidido por Guilherme d’Oliveira Martins, fizeram parte Maria Alzira Seixo, José Manuel Mendes, Manuel Frias Martins, Maria Carlos Gil Loureiro, Liberto Cruz, José Carlos Seabra Pereira, em representação da Babel, e Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, pela Estoril-Sol.

Anteriormente, o galardão tinha sido concedido a Eduardo Lourenço e a José Carlos de Vasconcelos.