Coimbra  26 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Poiares: Câmara saúda ligação ao IP3, mas não dispensa conclusão da A13

11 de Janeiro 2019

O presidente da Câmara de Poiares disse, hoje, estar satisfeito com a dotação de um programa de investimentos para ligação da vila e da Lousã ao IP3, mas alertou para o facto de isso não dispensar a conclusão da A13.

O Governo contemplou uma proposta das câmaras de Vila Nova de Poiares e da Lousã visando a ligação da zona a Sul do IP3 (itinerário principal que liga Coimbra a Viseu) no Programa Nacional de Investimento (PNI) / 2030, atribuindo-lhe 80 milhões de euros, decisão que deixa satisfeito o líder do Município poiarense, João Miguel Henriques.

A proposta das duas autarquias, subscrita pelos 19 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra (Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Mortágua, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure e Tábua, para além daqueles dois), foi apresentada ao Governo durante o período de consulta do PNI.

A futura ligação, que não servirá directamente apenas Poiares e Lousã e abrange outros municípios da região, como Miranda do Corvo e Góis, constitui como que “uma alternativa ao adiamento” da continuação da auto-estrada entre Tomar e Coimbra (A13) até ao IP3, mas não pode ser encarada “em prejuízo” da conclusão daquela via, disse à Agência Lusa João Henriques.

Esta solução para ligar a A13 ao IP3, entre Ceira (Coimbra) e a zona da barragem da Aguieira, além de ser a que melhor responde às necessidades da região, é “a mais vantajosa”, a diversos níveis, sustenta o presidente da Câmara de Poiares, lamentando, por outro lado, que o projecto de requalificação do IP3 entre Coimbra e Viseu (envolvendo custos superiores a 130 milhões de euros) só contemple a duplicação da via em cerca de 85 por cento do trajecto.

A empreitada de requalificação do primeiro troço do IP3, entre os nós de Penacova e Lagoa Azul, foi lançada em Julho de 2018, ocasião em que também foi aberto o concurso para a duplicação da via entre os nós de Souselas e Penacova e da Lagoa Azul e Viseu (A25).

Seja como for, a ligação entre as áreas de Poiares e da Lousã e o IP3 é “muito importante” e merece o aplauso de João Miguel, que, ainda assim, só ficará “realmente satisfeito” quando a obra, que ainda carece de estudos e projectos, “estiver totalmente concluída”.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Poiares admite que o projecto da futura via se possa apoiar nalguns dos planos já feitos, pela Infra-estruturas de Portugal, no âmbito dos estudos para a conclusão da A13, adoptando, como uma das possibilidades, a travessia da zona de Poiares e Lousã.

O PNI tem previsto aplicar 21,95 milhões de euros em projectos nas áreas dos transportes, energia e ambiente, de acordo com o documento que foi entregue, hoje, pelo Governo na Assembleia da República.

Este documento, a que a Lusa teve acesso, detalha que em causa estão 72 programas e projectos, com a área dos transportes e mobilidade a ser a que recebe a maior fatia, com 12,67 milhões de euros, para um total de 44 projectos, que representam 58 por cento do investimento.

Segue-se a energia, com 4,93 milhões de euros, que deverão ser alocados a oito projectos, constituindo 23 por cento do financiamento. O ambiente receberá 3,57 milhões de euros para 18 empreendimentos, 16 por cento do total.

A rodovia terá um investimento de 1,63 milhões de euros, destacando-se vários programas de segurança rodoviária e de construção de alargamentos e aumentos de capacidade.