Coimbra  22 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Poiares aprova orçamento de 10 milhões para “renascer das cinzas”

5 de Janeiro 2018

Nelson Coelho (PSD), vereador; João Miguel Henriques (PS), presidente da Câmara, e Ana Lara Damásio (PS), vereadora

 

A Assembleia Municipal de Vila Nova de Poiares aprovou, recentemente, o Orçamento para 2018, num valor que ascende a mais de 10 milhões de euros.

A proposta de Orçamento e Grandes Opções do Plano para 2018 foi aprovada com votos favoráveis da maioria socialista e do membro do CDS-PP e a abstenção dos cinco membros do PSD.

O valor total é de 10 304,617 euros, números que foram “condicionados pelos recentes incêndios que afectaram a região e o concelho, nomeadamente, os de 15 de Outubro, que obrigaram a reavaliar prioridades e à realização de um esforço suplementar”, explicou João Miguel Henriques, presidente da Câmara Municipal.

O autarca, contudo, reforçou a importância de não “deixar de respeitar e reflectir as linhas de orientação estratégica definidas, identificando claramente os princípios orientadores e as principais necessidades de investimento no concelho”.

Lembrando que “a prioridade é a reconstrução e apoio aos que mais sentiram os efeitos dos incêndios”, onde se inclui o próprio Município, dado que tem também infraestruturas afectadas como é o caso do complexo da Fraga. A “prioridade absoluta” é, por isso, o apoio às casas que têm de ser recuperadas, algumas de primeira habitação, que vão contar com o apoio municipal.

Já para as empresas e agricultores haverá “um reforço significativo das verbas afectas à protecção civil, desde a limpeza de estradas, taludes e algumas áreas florestais para onde será necessário canalizar investimentos”, sublinhou o édil.

A aposta deste executivo passa pela “continuidade da política de gestão cuidadosa, transparente e de grande rigor, apresentando por isso um orçamento realista, não empolado, em que a receita corresponde efectivamente à expectativa real da receita a cobrar”.

Embora tenha havido um reequilíbrio no mandato anterior, já que desde Outubro de 2013 foi possível baixar a dívida em 20 por cento, o que corresponde a mais de quatro milhões de euros, a autarquia continua em excesso de endividamento. Para o autarca, este é um factor essencial para, agora, “apresentar algumas intenções de investimento que até há bem pouco tempo seriam impensáveis”. Em destaque estarão o arranque da empreitada de requalificação do Mercado Municipal, orçada em cerca de 900 000 euros, mas também a infraestruturação do Polo II da Zona Industrial de Vila Nova de Poiares, com uma dotação para 2018 de cerca de 600 000 euros (financiada pelos fundos europeus através de uma candidatura já aprovada ao Centro 2020 e repartida por três anos), que, em termos globais, representará um investimento de cerca de dois milhões de euros.

Também a área social se constitui como outra das prioridades para o Município, contando com uma dotação de cerca de 130 000 euros, e onde se incluem os programas “Apoiar +”, os apoios com os transportes escolares e a gratuidade dos manuais escolares para o primeiro ciclo do ensino básico, num importante apoio às famílias do concelho.

O abastecimento de água e o saneamento são outra das grandes preocupações ao nível do investimento no concelho, num valor global de mais de 400 000 euros, sobretudo dirigidos ao cadastro e beneficiação da rede já obsoleta de abastecimento de água, mas também à reparação e ampliação da rede de saneamento básico.

“Depois do processo de recuperação financeira, queremos agora iniciar e dar seguimento ao processo de recuperação ao nível das infraestruturas básicas, da qualidade de vida dos poiarenses e da afirmação definitiva do concelho e de todas as suas potencialidades no território e na região”, concluiu João Miguel Henriques.