Coimbra  21 de Novembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

O porco e os enchidos voltam a ser atracções em Meruge

9 de Novembro 2018

A Junta de Freguesia de Meruge, com o apoio da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, volta a homenagear os seus produtos endógenos, este domingo (11), naquela que é já a 16.ª edição da Feira do Porco e do Enchido de Meruge.

O certame pretende, à semelhança dos anos anteriores, “evidenciar o papel dos ‘porqueiros’ no desenvolvimento económico da freguesia de Meruge e enaltecer a excelência dos enchidos amanhados por mãos artífices de mulheres”, revela a Junta de Freguesia.

Os 15 anos de edições de sucesso ditaram a criação de património gastronómico único, como é o caso do “arroz de Suã”, a par de outros pratos sempre muito apreciados pelos visitantes como o “porco no espeto com arroz de feijão”; os “torresmos à moda de Meruge” (feitos à fogueira em caçoila de barro); a “feijoada à moda de Nogueirinha”; as chouriças de carne e de bofes; as morcelas e farinheiras; os paios e os presuntos curados; a bôla de carne, de bacalhau ou de sardinha, confeccionadas ao vivo no recuperado forno comunitário. Mas para quem prefere cozinhar a própria refeição, também o pode fazer adquirindo a carne e utilizando as fogueiras e caçoilas que a organização disponibiliza. Já a melhor sobremesa será conhecida através do habitual concurso de doçaria tradicional.

Apesar de a Feira propriamente dita só ter lugar no domingo, a festa começa já no sábado (10), na Lage Grande, pelas 21h00, com uma noite de fados de Lisboa e Coimbra, com António Dinis e Inês Brito, acompanhados por Luís Marques e Paulo Larguesa, a acontecer no salão da Associação de Amigos de Meruge. Às 22h00, realiza-se “O Sacrifício das Castanhas em Homenagem a S. Martinho” e a “Bênção da Jeropiga”, abertos a toda a população e terminando com um espectáculo de teatro de fogo.

A Feira vai, ainda, contar com recriações de época com o grupo de teatro e animação ‘Viv´Arte’, que vão trazer trupes de azarados saltimbancos, mendigos loucos, alcoviteiras metediças e pistoleiros façanhudos em teatralizações de rua, cujo tema se centra em episódios vividos pelos soldados portugueses na I Grande Guerra e a evocação do Armistício (assinado a 17 de Novembro de

1918), com singela homenagem aos heróis da freguesia e do concelho que participaram nas trincheiras da Flandres. No recinto irão, também, actuar os Bombos e Adufeiras do Paúl, da Covilhã; o Grupo de Concertinas e Cantadores ao Desafio do Minho; os “Galandum Galundaina”; os “FanfarraKaústica”; os “Amigos do Borguinha”; os Nô Kausa, entre muitos outros.

Para os mais pequenos haverá passeios de burro, uma tenda das “Mil e Uma Histórias”, pinturas faciais, balões, jogos tradicionais e populares e muitas brincadeiras.

A festa terá lugar, também, no Terreiro do Santo, onde não faltarão cerca de 100 expositores de artesanato, produtos endógenos e doçaria tradicional, provenientes de vários pontos do país. Outra das atracções será a ‘Mostra de Porco Bísaro’ (com uma exposição e um colóquio sobre esta raça suína) e a ‘Feira da Agricultura Familiar’.

E como a parte gastronómica é a que está mais destacada nesta Feira é necessário contrapor com algum exercício. Assim, no domingo (11), haverá um passeio pedestre, pelos campos em redor da freguesia e com partida da Junta de Freguesia, pelas 08h00.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com