Coimbra  17 de Novembro de 2017 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Montemor-o-Velho: Citemor desdobra-se entre Coimbra e Figueira da Foz

3 de Novembro 2017

O Citemor, depois de anos com a sua existência em dúvida, realiza-se este ano entre Novembro e Dezembro, em Coimbra, Montemor-o-Velho e Figueira da Foz, num momento de recuperação do festival de artes performativas.

O momento é de “recuperação efectiva da capacidade de produção do festival”, depois de anos em que se discutia se o Citemor deveria continuar ou não, disse à agência Lusa o director do festival, Armando Valente, sublinhando que o apoio da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) de 40 000 euros para a edição deste ano acabou por dar outro ânimo ao evento, que decorre do dia 17 até 09 de Dezembro.

“Depois desse momento ‘in extremis’, o Citemor dá conta da vitalidade que sempre demonstrou e da capacidade de se reinventar”, frisou o responsável, considerando, no entanto, que a 40.ª edição, que deverá realizar-se para o próximo ano, ainda não está assegurada, estando dependente dos resultados do concurso da DGArtes para os apoios bianuais. A candidatura “vai ser absolutamente decisiva para a continuidade do Citemor”, notou.

Este ano, o festival, que tem como “âncora” Montemor-o-Velho, estende-se até Coimbra e Figueira da Foz, numa ligação “natural”, expressa nos próprios fluxos do território, contou.

No Citemor, vão estar 10 espetáculos – quatro criados em contexto de residência de criação – e uma instalação vídeo.

“De alguma forma, as obras programadas abordam problemas ou situações ou temáticas absolutamente contemporâneas, que nos afectam como indivíduos ou enquanto comunidade”, afirmou Armando Valente.

O festival começa a 17 de Novembro, em Montemor-o-Velho, com o concerto dos Lavoisier, no Teatro Esther Carvalho, e a exibição das criações audiovisuais finalistas do Loops.Lisboa, no Quarteirão das Artes, que se estende até 25 de Novembro.

Ainda em Montemor-o-Velho é apresentado “Notas de um Primata Suicida”, de Miguel Bonneville – que esteve em residência artística em Agosto -, no dia 18. “Apagão”, de Tiago Cadete e David Marques será apresentado no dia seguinte. Pelo Teatro Esther de Carvalho passam, ainda, Lígia Soares e Dinis Machado.

A passagem do festival por Coimbra será marcada, a 30 de Novembro e 01 de Dezembro, pela apresentação de “Assembleia”, de Rui Catalão, artista que vai dinamizar um laboratório de criação aberto à comunidade durante todo o mês. Também o Teatro da Cerca de S. Bernardo, no dia 02 de Dezembro, Edurne Rubiuo apresenta “Light Years Away”.

Na Garagem Auto Peninsultar, na Figueira da Foz, vai ser apresentado o novo trabalho da espanhola Elena Córdoba, “El Nacimiento de La Bailarina Vieja”, a 07 de Dezembro, passando ainda por aquele espaço Bruno Humberto, com “A Morte da Audiência”.

O Citemor termina com um concerto de First Breath After Coma, na Garagem Auto Peninsular, a 09 de Dezembro.

Foto: Romance [©Daniel Pinheiro]