Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Montemor: Gastronomia alia-se à animação e tradições

15 de Março 2019

Começa hoje, pelas 19h00, a edição de 2019 do Festival do Arroz e da Lampreia de Montemor-o-Velho, que conta com um programa vasto e apelativo até ao próximo dia 24 de Março.

A programação, muito centrada nas associações e colectividades do concelho, terá como ponto alto a transmissão, em directo, do programa da RTP “Aqui Portugal”.

Para Emílio Torrão, presidente da autarquia montemorense, este será um momento importante, já que resulta do “reconhecimento nacional deste festival” e, como tal, “a aposta está ganha”. Na sua opinião, um festival como este quer-se “de excelência, de afirmação local e expressão nacional” e, por isso, estará em evidência durante grande parte do dia de sábado, altura em que também se realizará uma das novidades deste ano: a ‘maratona do arroz doce’.

Nesta edição, a autarquia volta a “apostar na promoção de produtos autênticos, genuínos e enraizados na cultura de Montemor, apelando aos sentidos de quem visita e reforçando o enfoque na qualidade”, pelo que aliado ao seu conceito base gastronómico haverá um programa vasto, em que também as associações e colectividades do concelho estarão em evidência.

Seja em cima do palco, a demonstrar os dotes musicais ou as tradições etnográficas, nas tasquinhas na confecção dos pratos mais tradicionais de Montemor ou na demonstração de dotes artísticos artesanais, as várias associações vão marcar presença e dar-se a conhecer neste certame.

“Queremos manter a essência do que é o festival, dando espaço às IPSS´s do concelho e deixar as receitas no município”, explicou o presidente da Câmara, Emílio Torrão.

As tasquinhas, dinamizadas por quatro associações, terão uma tenda própria, com vista para o castelo, alertando o autarca que “são servidas milhares de refeições por estes dias, por isso os tempos de espera para apreciar a lampreia são longos, tendo em conta que os pratos são confeccionados na hora”.

Do programa preparado ao cuidado pela autarquia, destacam-se, ainda, as reconstituições etnográficas (dias 16 e 23 de Março), como a pesca da lampreia, a confecção da queijada de Pereira, o ‘serrar da velha’, etc.

Também os grupos folclóricos e etnográficos, as escolas de dança, os vários clubes desportivos, os coros, orquestra e os grupos de música e de teatro são alguns dos momentos programados para os dois próximos fins-de-semana.

Destaque, também, para a pista de patinagem e para a entrega dos prémios do V Torneio de Futsal Interfreguesias, na vertente desportiva do certame.

O que se pretende com um tão vasto programa é “proporcionar momentos de convívio e de animação cultural” a todos os visitantes.

Durante o festival, os visitantes poderão, ainda, ficar a conhecer um pouco melhor o concelho, através das visitas guiadas: “Castelo e Centro Histórico de Montemor” (para grupos) – sábados e domingos; e “Passeios de charrete e baptismos de póneis (Centro Equestre de Montemor) – sábados e domingos.

Arroz doce é a “princesa” do Baixo Mondego que tem de ser valorizada

Crê Emílio Torrão que é o leite de vaca da Gândara, o arroz do Baixo Mondego e a receita ancestral que fazem do “arroz doce” de Montemor-o-Velho uma iguaria única e que “nem sempre tem a importância que merece”.

Este é, por isso, “o início de um caminho de promoção do arroz doce”, salientou o autarca Emílio Torrão, na sessão de apresentação da edição de 2019 do Festival do Arroz e da Lampreia de Montemor-o-Velho.

“A certificação [do arroz doce] é importante, mas para além disso é a defesa deste património imaterial que está em causa”, reforçou o édil, reconhecendo que este prato de doçaria é “diferenciador de todos os outros”.

No âmbito desta estratégia da autarquia, uma das novidades deste ano do Festival prende-se com uma actividade singular: uma ‘Maratona de Arroz Doce’ sem parar durante 12 horas. Para a realização desta iniciativa serão utilizados 30 quilogramas de arroz carolino do Mondego, numa sessão de cozinha ao vivo, entre as 12h00 e as 00h00 de amanhã (16).

Depois de cozinhada, a doçaria será distribuída, gratuitamente, aos visitantes do Festival.

Recorde-se que o arroz carolino do Baixo Mondego é já um produto com Indicação Geográfica Protegida (IGP) desde 2015 e, como habitualmente, uma das estrelas do Festival do Arroz e da Lampreia.

Além do prato do prato doce, o arroz é também o ingrediente principal para acompanhar a tão apreciada lampreia, que nestes dias será servida aos milhares de visitantes esperados no certame, todos os dias (de 15 a 24), sendo que de dia 18 a 21, quer os almoços como os jantares, serão servidos apenas por uma das tasquinhas presentes e o prato de lampreia só mediante encomenda.

10 - Lampreia Montemor

 

PROGRAMA (destaques)

Amanhã (15)

19h00 – Inauguração

22h00 – Mondego em Fado

 

16 Março (sábado)

11h-20h – Programa Aqui Portugal | RTP

12h-00h – Arroz Doce non stop | Maratona de confecção de Arroz Doce

16h00 – Reconstituições Etnográficas do Baixo Mondego e Gândara

21h00 – Concerto | Faith and Frinfel | Inês Pinho

 

17 Março (domingo)

14h00 – Cozinha ao Vivo pelo Centro Beira Mondego

19h30 – Rancho Folclórico da Carapinheira

21h00 – Grupo Folclórico da Vila de Pereira

 

22 Março (sexta-feira)

19h00 – Cozinha ao Vivo pelo Grupo Folclórico da Ereira

23h30 – DJ Diogo Almeida

 

23 Março (sábado)

14h00 – Cozinha ao Vivo pela Casa do Povo de Abrunheira

14h30 – Arroz aos Molhos Grupo de Cantares do CUMRG

15h30 – Coro Polifónico, Grupo de Clarinetes e Grupo de Trompetes da Associação Filarmónica União Verridense

22h30 – Sons do Minho

 

24 março (domingo)

14h00 – Cozinha ao Vivo pela Casa do Povo de Arazede

18h00 – Rancho Folclórico Cantarinhas de Abrunheira

19h00 – Rancho Folclórico e Regional do Seixo