Coimbra  26 de Setembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Modernização do troço ferroviário Alfarelos – Pampilhosa está concluída

11 de Junho 2018

Dois anos e 31 milhões de euros depois, a primeira fase da intervenção no troço ferroviário da linha do Norte, que liga Alfarelos à Pampilhosa, está concluído e foi apresentada, hoje, em Soure, pelo ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques.

A empreitada que levou à modernização deste troço incluiu a renovação total da via em 35 quilómetros e faz parte do projecto mais alargado “Ferrovia 2020”, do Governo e da Infraestruturas de Portugal, que visa intervir em mais de metade da rede ferroviária nacional (corredor internacional Norte, corredor internacional Sul, corredor Norte-Sul e corredores complementares).

Esta foi o primeiro momento de uma intervenção, ao qual se segue a estabilização de seis taludes (cuja contratação está em curso, esperando apenas o aval do Tribunal de Contas) e que, segundo a Infraestruturas de Portugal, “deverá arrancar nas próximas semanas”, com um custo de dois milhões de euros. A terceira e última fase desta intervenção no corredor Norte-Sul, está prevista ser lançada apenas no segundo semestre de 2019 e consiste na muito aguardada renovação da estação de Coimbra-B (e a sua compatibilização com o Sistema de Mobilidade do Mondego) e a de Alfarelos, contemplando, ainda, a eliminação das passagens de nível (com a construção de passagens superiores e inferiores), bem como a construção de novas plataformas no apeadeiro da Adémia. Este terceiro momento irá contar com um orçamento de 30 milhões de euros.

O objectivo destas obras, “difícil de perceber pelo cidadão comum” segundo o ministro Pedro Marques, traz benefícios pelo facto de “os comboios não terem de abrandar nesta parte da rede, aumenta muito a segurança da circulação dos comboios, permite manter as velocidades de circulação no máximo possível e permitiu, ainda, suprimir passagens de nível, sendo, por isso, uma questão de fiabilidade e segurança para as populações”.

Além disso, a empreitada visava, também, aumentar a capacidade para os comboios de mercadorias (até 750 metros), renovar o ciclo de vida da infraestrutura e reduzir o tempo do trajecto dos serviços de longo curso.

“É para nós uma satisfação, dois anos depois, regressar a esta estação e podermos assinalar a conclusão de uma obra tão importante no contexto da nossa rede ferroviária”, afirmou o ministro Pedro Marques, adiantando trata-se de “uma obra de engenharia notável, numa linha que é a mais importante do país”.

“O nosso desígnio é uma rede ferroviária cada vez mais fiável, para que mais pessoas possam utilizar o comboio em vez do carro individual, mas, em particular, e como grande objectivo estratégico do ‘Ferrovia 2020’, para que cada vez mais mercadorias circulem nos nossos comboios e assim possamos descarbonizar a economia, sendo competitivos no transporte de produtos através da ferrovia”, concluiu o governante.

O programa “Ferrovia 2020” pretende atingir “mais de 2 000 milhões de euros de investimento”, sendo financiado pelo Portugal 2020.

Na sessão marcaram presença os presidentes das Câmaras Municipais de Soure, Mário Jorge Nunes; de Coimbra, Manuel Machado; e da Mealhada, Rui Marqueiro, além do vice-presidente da Infraestruturas de Portugal, Carlos Fernandes.

 

Mário Nunes com ministro Pedro Marques

Mário Nunes, presidente da Câmara Municipal de Soure (à esquerda), com o ministro Pedro Marques, na estação de Alfarelos