Coimbra  20 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Isabel Worm é a nova assessora artística do Convento de São Francisco

2 de Janeiro 2018

Isabel Worm

A ex-directora do Centro Cultural Olga Cadaval, Isabel Worm, vai ser a nova assessora artística e cultural do Convento de São Francisco, em Coimbra.

A Câmara Municipal de Coimbra, que gere o espaço, contratou a empresa Arsuna, “representada por Isabel Worm”, através de um ajuste directo de 74 800 euros (mais IVA), para “serviços de consultoria para o Convento São Francisco e outros equipamentos culturais municipais”, esclareceu o Município, à agência Lusa.

Isabel Worm vai ocupar o lugar que foi deixado pelo antigo director artístico do Teatro Aveirense, João Aidos, com o qual a autarquia tinha celebrado três ajustes directos entre 2014 e 2016 (os dois últimos também com o valor de 74 800 euros cada).

No entanto, ao contrário dos ajustes diretos celebrados com João Aidos, o presente contrato com a antiga directora do Olga Cadaval prevê que esta preste também serviços de consultoria artística para “outros equipamentos culturais municipais”, sem serem especificados quais.

De acordo com o contrato celebrado em Dezembro de 2017, Isabel Worm vai apoiar na elaboração de propostas “e definição da programação artística e cultural bem como do projecto educativo e de mediação de públicos para o Convento São Francisco e outros equipamentos culturais municipais”.

Nos serviços a prestar, está também o apoio na definição de orientações para a produção executiva de vários eventos, bem como na definição de estratégias para a captação de congressos.

Isabel Worm deverá, também, acompanhar o processo de instalação do novo modelo de gestão do espaço e ajudar a estabelecer parcerias e redes nacionais e internacionais, entre outros serviços.

A autarquia sublinha, ainda, que a programação cultural “é definida pela Câmara Municipal de Coimbra”, referindo que foi criada uma equipa de projecto do município, constituída por oito técnicos superiores, dez assistentes técnicos e dez assistentes operacionais, para a programação e gestão daquele espaço.

Passados quase dois anos da sua abertura ao público, o modelo de gestão para o Convento São Francisco (um investimento de mais de 40 milhões de euros) continua por concretizar, sendo que a autarquia refere que “a perspectiva futura é de se criar uma empresa municipal”.

“Nesse sentido, foi elaborado um caderno de encargos para adquirir um estudo de mercado e de viabilidade financeira e uma proposta de estatutos para constituição de uma empresa municipal, pelo que o processo está em desenvolvimento”, acrescentou o Município de Coimbra.