Coimbra  21 de Julho de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IP3: PSD quer perfil de auto-estrada entre Coimbra e Viseu

12 de Abril 2018

O grupo parlamentar do PSD apresentou, hoje, na Assembleia da República um projecto de resolução que defende a construção de uma ligação rodoviária em perfil de auto-estrada entre Viseu e Coimbra, não portajada.

Os deputados do PSD referem que os dois últimos governos liderados pelo seu partido “tomaram decisões efectivas e lançaram os concursos para concretizar este projecto” e que, nos dois últimos anos, usaram várias vezes “os instrumentos regimentais disponíveis” para interpelar o actual Governo.

Agora, os deputados decidiram avançar “para o último instrumento parlamentar à disposição de um grupo parlamentar da oposição que quer forçar o Governo em funções a desenvolver um projecto e a realizar acções que são estritamente da esfera administrativa e da sua competência”.

Na sua opinião, “a inacção do actual Governo tornou inevitável este projecto de resolução pelo qual o PSD propõe que o Parlamento exorte o executivo a agir”.

Neste âmbito, o grupo parlamentar do PSD propõe que a Assembleia da República recomende ao Governo que “execute de imediato todos os procedimentos e acções para a efectiva e urgente implementação de ligação rodoviária em perfil de auto-estrada entre Viseu e Coimbra, garantindo a existência de uma solução não portajada”.

Os deputados lembram que o troço do Itinerário Principal (IP) 3 de ligação, em via rápida, entre Viseu e Coimbra, foi concluído há 30 anos.

“Desde então, os restantes troços do mesmo IP3 foram construídos em perfil de auto-estrada e diversas auto-estradas foram construídas no país, várias delas com volumes e intensidades de tráfego muito menores do que os observados na via rápida IP3 entre Viseu e Coimbra”, sublinham.

Segundo os sociais-democratas, “ao longo destes 30 anos, o IP3 Viseu-Coimbra sofreu uma significativa degradação física e das condições de segurança e recebeu insuficientes níveis de reabilitação e requalificação (com escassas excepções, como o novo viaduto da Foz do Dão, inaugurado em Julho de 2015)”.

“Pior, este troço do IP3, com mais de 70 quilómetros, tem observado níveis crescentes de sinistralidade, ao ponto de ser já correntemente designado por ‘estrada da morte’”, alertam.

Este é “um troço rodoviário com níveis significativos de tráfego, más condições de segurança, elevada sinistralidade e fortes constrangimentos na ligação a uma região do interior do país que ainda vai apresentando importantes níveis de actividade económica, industrial, agrícola e de serviços”, acrescentam.

Neste âmbito, defendem que, se “a existência de uma ligação em perfil de auto-estrada entre Viseu e Coimbra há já vários anos era assumida como necessária e importante”, agora “tornou-se muito urgente e prioritária”.

Os deputados lembram que, nos últimos meses, e perante “o acelerado agravamento da insegurança, dos estrangulamentos e da sinistralidade no IP3, várias autarquias e associações empresariais e cívicas têm tomado iniciativas, declarações públicas e petições que têm em comum o apelo à concretização urgente e prioritária de obras que garantam uma ligação rodoviária em perfil de auto-estrada entre Viseu e Coimbra”.

O projecto de resolução está assinado pelos deputados António Leitão Amaro, Pedro Alves, Emídio Guerreiro, Margarida Mano, Maurício Marques, Fátima Ramos, Ana Oliveira, António Lima Costa, Inês Domingos e Isaura Pedro.