Coimbra  20 de Novembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

IP3: Alegada solução de consenso não convence Câmara de Poiares

4 de Setembro 2018

O Município de Vila Nova de Poiares rejeita que haja um alegado consenso sobre a intervenção prevista para o IP3 e que exclui o perfil de auto-estrada.
A Câmara poiarense revelou, hoje, que o seu presidente, João Miguel Henriques (PS), defende a ligação entre Coimbra e Viseu em perfil de auto-estrada, sem embargo de não se opor, naturalmente, a qualquer intervenção no actual trajecto daquele Itinerário Complementar capaz de consistir na melhoria da segurança dos utentes.
Contudo, reafirma o autarca, “a solução apresentada pelo Governo não vai resolver o problema de fundo do IP3, tão-pouco dos concelhos servidos por aquela infra-estrutura”.
Para João Miguel, trata-se do único itinerário principal do país com elevado volume de tráfego sem perfil de auto-estrada em toda a sua extensão.
Vila Nova de Poiares, juntamente com um conjunto de concelhos da região, defende a auto-estrada, assente numa denominada “Alternativa Sul” (na margem esquerda do rio Mondego a jusante de Santa Comba Dão).
Henriques foi, há um ano, o anfitrião de uma sessão em defesa da margem esquerda do Mondego para ligar Santa Comba Dão a Coimbra.
Segundo representantes de oito municípios, um traçado a Sul do rio aproxima vários aglomerados urbanos, potencia a utilização da A13, proporciona ligação ao IC 06 e descarta questões de índole ambiental.
João Henriques reafirma que vários autarcas têm vindo a possuir voz activa na discussão e defesa de tal figurino por acreditarem que o mesmo se poderá traduzir numa mais-valia para a região e em “solução segura para esbater as dificuldades de mobilidade existentes neste território”.
“São muitas as dificuldades que afectam os concelhos desta região em termos de acessibilidades”, adverte a Câmara poiarense, vincando ser exemplo disso a total ausência de intervenção na EN 02 (Estada Nacional) no troço entre a sede do Município e Penacova por parte da empresa Infra-estruturas de Portugal (IP).
Acresce o esquecimento a que tem sido votada a EN 17 (Estrada da Beira), que, segundo João Miguel, não responde às actuais necessidades de vários concelhos e das respectivas populações.
Segundo uma nota de Imprensa da Câmara de Poiares, “Coimbra deveria assumir um protagonismo diferente na região, reclamando para si a responsabilidade de liderar o Centro do país e reivindicar acessibilidades condizentes com esse estatuto, nomeadamente a ligação por auto-estrada à fronteira com Espanha”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com