Coimbra  28 de Maio de 2017 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Guarda prisional sofre pena de sete anos de cadeia

19 de Maio 2017

Um guarda prisional foi condenado, hoje, pelo Tribunal de Coimbra, a sete anos de cadeia e encontra-se proibido de exercer a profissão durante 48 meses.

O arguido estava acusado, pelo Ministério Público, de tráfico de estupefacientes e corrupção passiva para acto ilícito.

Dois presidiários, acusados de traficar droga e de corromperem o guarda, foram punidos com penas de cadeia de sete anos e nove meses.

O presidente de um colectivo de juízes, João António Ferreira, disse que a suspensão do desempenho profissional, a título de sanção acessória, fica a dever-se a “falta de idoneidade” para o exercício da actividade.

“O Tribunal não pode aceitar” que um funcionário dos Serviços Prisionais se deixe corromper para adulterar as tarefas de guarda, advertiu o magistrado judicial.

João Ferreira fez notar que a pena aplicada ao arguido só não é mais severa graças à confissão e ao facto de a actividade delituosa se ter confinado a um curto espaço de tempo.