Coimbra  23 de Maio de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Filipe Albuquerque vence, pela primeira vez, as 24 horas de Daytona

29 de Janeiro 2018

Christian Fittipaldi, João Barbosa e Filipe Albuquerque festejaram a vitória na prova americana

 

O piloto conimbricense Filipe Albuquerque, com os colegas de equipa João Barbosa e Christian Fittipaldi, venceram, no sábado (27), as 24 horas de Daytona, nos Estados Unidos da América.

A primeira prova do campeonato norte-americano de resistência e uma das principais da modalidade teve no pódio os dois portugueses e um brasileiro, que se mostraram radiantes com a conquista, pois os «louros» escaparam-lhes na edição do ano passado devido a problemas com o carro.

Filipe Albuquerque abriu a corrida, sábado, com o Cadillac número 05, e guindou-se ao primeiro lugar, depois de João Barbosa e Christian Fittipaldi terem feito turnos intermédios na prova do campeonato norte-americano de resistência.

O trio luso-brasileiro confirmou o favoritismo que lhe era atribuído, tratando-se da primeira vitória em Daytona para Albuquerque, enquanto Barbosa e Fittipaldi repetem o triunfo alcançado em 2014, então na companhia do francês Sebástien Bourdais.

Barbosa, piloto radicado nos Estados Unidos, alcançou a primeira vitória em 2010, juntamente com o norte-americano Terry Borcheller, o britânico Ryan Dalziel e o alemão Mike Rockenfeller.

“Estou tão contente; a equipa está toda de parabéns. Depois do que aconteceu em 2017, conseguir finalmente esta vitória é sinal para dizer: sem dúvida que o mundo é justo”, desabafou Filipe Albuquerque, após o êxito numa das principais provas de resistência automóvel.

“Foi uma corrida espectacular, mas as últimas seis horas foram muito duras, um sofrimento inacreditável. Fizemos o nosso trabalho de forma única. O motor estava a aquecer bastante e o mínimo barulho no carro deixava-me apreensivo face ao que aconteceu em 2017. Pensava que ia ser o fim e o motor ia partir…”, desabafou.

Filipe Albuquerque revelou que “levantar o pé” foi a solução para levar um “carro óptimo” a vencer numa prova que a equipa liderou “durante oitenta por cento” do percurso.

“Quando, finalmente, vi a bandeira axadrezada, foi uma sensação incrível. A melhor de todas. Uma explosão de alegria, um sentimento de justiça e de dever cumprido. Não há palavras para descrever tudo o que estou a sentir”, concluiu.

O trio Filipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi quebrou um recorde com 36 anos ao terminar a prova completando mais de 4 600 quilómetros e 808 voltas ao circuito. O recorde de quilómetros foi estabelecido em 1982, por John Paul Jr., Rolf Stommelen e John Paul Sr., que fizeram um total de 4 400 quilómetros. Já o número de voltas de Albuquerque, Barbosa e Fittipaldi superou o registo de 762, que foram realizadas em 1992 pelo trio Masahiro Hasemi, Kazuyoshi Hoshino e Toshio Suzuki.

Durante 24 horas, 50 carros estiveram em prova numa corrida que durou o fim-de-semana inteiro, durante o qual estiveram cinco portugueses a competir. Para além de Filipe de Albuquerque e João Barbosa, António Félix da Costa, João Barbosa, Pedro Lamy e Álvaro Parente também correram em Daytona. Destes destaca-se o segundo lugar de Álvaro Parente, um estreante em Daytona, na categoria GTD. António Félix da Costa terminou no quinto lugar da geral, já Pedro Lamy, a correr num Ferrari, teve problemas e a sua viatura não voltou à pista.