Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Docente da ESEnfC preside a grupo da Associação Internacional da Dor

17 de Janeiro 2018

Ananda Maria Fernandes, docente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (ESEnfC), foi nomeada para presidente Grupo de Interesse Especial sobre Dor na Criança (Special Interest Group on Pain in Childhood), da Associação Internacional para o Estudo da Dor (International Association for the Study of Pain), para o triénio 2018-2020.

Ananda Fernandes é a primeira enfermeira a presidir a este grupo da Associação Internacional para o Estudo da Dor, uma vez que todos os anteriores foram médicos ou psicólogos.

A docente é especialista em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica, doutorada em Enfermagem, além de consultora da Direcção-Geral de Saúde e membro do núcleo coordenador do Plano Estratégico Nacional de Prevenção e Controlo da Dor.

Ananda Fernandes é, ainda, directora do primeiro Centro Colaborador da Organização Mundial de Saúde para a Prática e Investigação Clínica em Enfermagem e Obstetrícia existente na Península Ibérica, justamente a ESEnfC.

A professora sucede no cargo a Carl von Baeyer, do Canadá, mas já era membro dos corpos sociais da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (2014-2016), além de coeditora da revista DOR (2010-2013) e representante da Ordem dos Enfermeiros na Comissão Nacional de Controlo da Dor (2009-2012).

Na Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem (UICISA: E), da ESEnfC, Ananda Fernandes pertence aos projectos “Gestão da dor e sofrimento na criança e adolescente” e “Diagnósticos e intervenções na criança e adolescente”.

Na presidência do Grupo de Interesse Especial sobre Dor na Criança da Associação Internacional para o Estudo da Dor, a professora Ananda Fernandes vai continuar “a perseguir os objectivos deste núcleo de peritos: promover a educação sobre a dor em crianças, partilhar informações relevantes sobre o controlo da dor pediátrica, promover a capacidade de aliviar a dor das crianças numa perspectiva internacional e interdisciplinar, assim como incentivar a pesquisa, particularmente estudos multicêntricos e estudos que se concentram em problemas únicos de pediatria, incluindo recém-nascidos”, revela a ESEnfC.