Coimbra  23 de Fevereiro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cultural das Casas Novas quer fazer renascer sonho de há 30 anos

9 de Fevereiro 2019

Existe há 76 anos, apoia os sem-abrigo da cidade todos os sábados e oferece comida a famílias carenciadas da sua freguesia mas, só em 2019, é que o Cultural – Associação de Apoio Social e Desenvolvimento das Casas Novas, na União de Freguesias (UF) de São Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, vai ver realizado o sonho de ter uma sede digna de tal nome.

A primeira fase da obra, cujo investimento ronda os 75 000 euros, está já a decorrer no terreno contíguo às actuais e precárias instalações da Associação, adquirido há mais de três décadas.

“Esta é uma obra com 30 anos de atraso, quando, na altura, e através de um peditório à população, a Associação conseguiu comprar o terreno, mas os processos são muito demorados e houve vários obstáculos”, afirma o presidente da Direcção, Mário Pratas. A obra estaria, também, dependente da licença da autarquia conimbricense, que foi obtida em Junho de 2017.

A empreitada está, agora, finalmente a avançar, prevendo-se que toda a estrutura, que inclui a futura sede, o Centro de Dia e o salão polivalente estejam concluídos nos próximos três meses. Depois de terminada a obra, o Cultural das Casas Novas tem “um prazo de dois anos para concretizar o projecto”, explica o timoneiro, adiantando que o edifício terá uma área de cerca de 230 metros quadrados, na qual está contemplada uma cozinha com copa, sala de convívio, sala de Direcção e outra para o Centro de Dia.

Nesse espaço, e já “apalavrado” com a Segurança Social, está a valência de Centro de Dia, com capacidade para receber cerca de 30 idosos daquela zona da UF, esperando a Associação que esteja em funcionamento em 2021. “Apostamos nesta valência porque, nesta área geográfica, não há outro suporte do género, o mais perto que temos é o Centro Social de S. João. Por outro lado, esta é, também, uma zona com população envelhecida e queremos dar aos nossos sócios, e não só, um espaço para passarem o tempo”, revela Mário Pratas.

Contudo, e mesmo com “o apoio incondicional da União de Freguesias e da Câmara Municipal de Coimbra”, é necessária reunir uma verba considerável para materializar o sonho, pelo que o Cultural tem dinamizado e irá continuar a promover diversos eventos para angariação de fundos.

“Neste momento, a principal actividade da Associação é o apoio social, nomeadamente, aos sem-abrigo da cidade. Somos membros do CMIS (Centro Municipal de Integração Social), a funcionar no Pátio da Inquisição, e do projecto “COMVIDA”, no âmbito do qual levamos refeições quentes aos mais desfavorecidos”, bem como roupas e outros bens, sempre aos sábados.

Futuramente, a Associação pretende continuar na área do apoio social, nunca descurando os mais desfavorecidos, mas alargando o leque com a valência de Apoio Domiciliário, para “responder às necessidades da freguesia”.

A actual sede serve, também, de “palco” para vários eventos da Associação, nomeadamente, ao servir almoços às quartas-feiras e domingos.

Para este ano estão já previstos várias actividades, que têm como prioridade a angariação de fundos para ajudar a finalizar o sonho de ter uma nova e moderna sede.

Entre outras actividades, nos próximos meses está previsto o tradicional desfile de Carnaval, a celebração do Dia da Mulher e do Dia do Homem (Março), uma noite de fados (Abril), a ‘Caminhada pelo Cultural’ e a ‘Festa do vizinho’ (Maio), os Santos Populares (Junho), ‘Festa das Vindimas’ (Setembro), ‘Jantar das colheitas’ (Outubro) e o habitual Dia das Febras (Novembro).

11 - Sede actual Cultural

Actual sede da Associação, localizada junto da Fonte dos Carvalhos