Coimbra  28 de Maio de 2017 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CpC: Abílio Hernandez desvincula-se de movimento cívico

21 de Abril 2017

Abílio Hernandez, que foi mandatário de Cidadãos por Coimbra nas eleições autárquicas de 2013, acaba de se desvincular do movimento cívico, soube o “Campeão”.

“O recente processo que levou à eleição da actual Direcção pôs em causa, de forma fatal, a identidade do movimento, transformando-o num instrumento político ao serviço de um aparelho partidário que colocou os seus próprios interesses acima daquela que foi sempre a causa maior de CpC: Coimbra”, alega Hernandez Cardoso.

Professor jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, o ex-docente orgulha-se de haver contribuído “com o melhor” de que foi capaz “para a intensa e participativa actividade cívica de um movimento que era considerado exemplar”.

Principal rosto, em 2003, do evento “Coimbra, Capital Nacional da Cultura”, Abílio Hernandez foi um dos 15 membros do movimento cívico subscritores de uma declaração contra cujo teor se insurgiu a nova Direcção de CpC.

O “grupo dos 15” proclamou “a recusa” de um caminho que, segundo alega, leva à “desvalorização da luta institucional” e à “redução do significado do movimento cívico”.

Para Graça Simões, a Direcção do movimento emana de um grupo de pessoas apostadas em “garantir continuidade a Cidadãos por Coimbra, discordando da lógica de subvalorização das respectivas forças e de sobrevalorização das alheias”.

A declaração do “grupo dos 15” foi subscrita por Abílio Hernandez, José Augusto Ferreira da Silva, Pedro Bingre, Fátima Carvalho, Isabel Campante, José Reis, João Ferreira, Abel Pinto, Ana Pires, Elísio Estanque, Isabel Prata, João Figueira, José António Bandeirinha, José Ricardo Nóbrega e Luís Ferreira.