Coimbra  24 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa leva museu PO.RO.S e Conímbriga à BTL

15 de Março 2019

Condeixa volta a apresentar-se na maior feira nacional do sector do turismo (BTL), que decorre até domingo, para promover um dos maiores tesouros culturais: Conímbriga e o museu PO.RO.S – Portugal Romano em Sicó.

O Município está representado com um stand inovador e criativo onde os visitantes são convidados a entrar num pequeno fórum romano (réplica da sala imersiva do Museu PO.RO.S) e a experimentar e interagir com ambientes virtuais da época romana.

O stand encontra-se próximo da entrada do Pavilhão 02, numa área reservada à região de Coimbra, e tem, ainda, animação de “legionários” e outros figurantes e provas de degustação de escarpiada, doce tradicional de Condeixa, candidato às ‘7 Maravilhas Doces de Portugal’.

“A participação naquela que se anuncia como a maior edição de sempre da BTL [passou de três para quatro pavilhões] e onde se esperam 70 000 pessoas decorre de uma estratégia de promoção nacional e internacional iniciada há uns anos, que tem permitido afirmar Condeixa como destino de natureza, património e cultura, a pouca distância de Coimbra e a meio caminho entre Lisboa e Porto”, refere Nuno Moita da Costa, presidente da Câmara.

O autarca acrescenta que “através de diferentes brochuras bilingues iremos promover o nosso património, desde logo as ruínas de Conimbriga e o museu PO.RO.S. – Portugal Romano em Sicó, mas também a Reserva Natural do Paul de Arzila e as Buracas do Casmilo, a Casa-Museu Fernando Namora e o conjunto de palácios existentes no concelho, além da nossa gastronomia, de que se destacam a escarpiadas”.

Será ainda anunciada a próxima edição de uma das maiores recriações históricas romanas do país, o evento “O Vislumbre do Império” que irá decorrer no fim-de-semana de 15 e 16 de Junho e onde se esperam cerca de 10 000 espectadores.

Refira-se que o museu PO.RO.S – Portugal Romano em Sicó, inaugurado em 2017, é um espaço museológico singular, que se constitui como um importante recurso complementar a uma visita às ruínas de Conímbriga, permitindo ao visitante melhor compreender a época romana através de modernos e inovadores sistemas multimédia.

As ruínas de Conímbriga, abertas ao público desde 1930, constituem hoje um dos mais importantes sítios arqueológicos da Península Ibérica, tendo sido consideradas pela agência de notícias norte-americana Bloomberg como uma das “Sete Novas Maravilhas do Mundo”. Já antes o jornal britânico The Guardian as tinha referenciado como uma das “10 maravilhas arqueológicas” do mundo menos exploradas.