Coimbra  21 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Como escolher os móveis de escritório para aumentar a produtividade

10 de Abril 2019

A sua velha e boa escrivaninha, à qual hoje chamamos de mesa de trabalho ou mesa de escritório, é desajeitada, feia, velha e desconfortável? Cuidado, pois isso pode levá-lo a produzir menos, sabia?

A sua mesa de escritório é, possivelmente, um dos lugares onde passa a maior parte do seu tempo todos os dias. Verdade? Por isso, ela pode representar tanto um lugar cansativo e monótono como um ambiente que contribui para o desenvolvimento do seu trabalho. Por isso, ela deve ser pensada, planeada e estruturada de modo a que consiga manter a atenção no que é realmente importante, sem que o espaço perca a sua identidade.

Muitas pessoas constatam que a mesa de escritório é desorganizada, mas que mesmo assim conseguem “encontrar-se no meio da sua própria desorganização”. Porém, essa mesma desorganização pode reflectir-se no seu trabalho, na impressão que as pessoas têm de si e na sua gestão pessoal e da empresa.

Do mesmo modo, o ambiente geral onde trabalhamos possui total influência sobre nosso comportamento, e isto não é uma descoberta recente. A posição dos móveis, a eleição das cores e até mesmo a própria iluminação são elementos que contribuem para aumentar a produtividade e o bem-estar das pessoas que trabalham nele, por isso, cuidar e investir na decoração do escritório é uma estratégia necessária num ambiente corporativo.

O escritório pode ser um local bastante stressante e imediatista, no entanto, para reduzir a sobrecarga e os efeitos negativos, é interessante considerar a decoração como um investimento, sendo ela responsável por trazer resultados cada vez mais criativos para uma equipa.

Por essa razão, para aumentar a produtividade dos seus colaboradores através da decoração do seu escritório, seleccionamos cinco dicas que o podem ajudar neste assunto! Veja por si mesmo.

A decoração corporativa é uma preocupação que tem crescido entre as empresas, por isso, técnicas e outras estratégias têm vindo a ser utilizadas a fim de tornar o ambiente de trabalho um lugar produtivo e acolhedor. Assim, mudar o posicionamento dos móveis é um gesto simples, mas que oferece resultados imensos para quem circula entre eles.

A correcta gestão dos espaços supõe uma decisão estratégica, e por isso hoje as empresas ampliaram os seus horizontes mediante a incorporação de iniciativas empresariais e consultorias estratégicas que se encarregam da integração, planeamento e execução das acções relacionadas com os activos imobiliários, através de uma gestão para o correcto funcionamento dos imóveis e que, ao mesmo tempo, traz ao ambiente de trabalho.

A própria mesa do chefe pode ser transferida para um local de menor movimentação, que não imponha a sensação de subordinação ou obstáculo. Além disso, permitir que os demais móveis atrapalhem o caminho é essencial para promover a privacidade e um melhor aproveitamento do espaço dentro do escritório.

Vale lembrar ainda que cadeiras espalhadas, entre outros itens desorganizados, fazem parte de um cenário pouco produtivo e confuso.

Que tal algumas dicas para melhorar o espaço dentro do lugar de trabalho?

Móveis: Mais conforto e ergonomia dão aos empregados mais saúde e, portanto, um rendimento profissional superior. As cores azul e verde são geradoras de novas ideias, enquanto o vermelho se associa à atenção nos detalhes.

Formato dos móveis: Alguns especialistas recomendam fugir das formas rectilíneas e priorizar as arredondadas. As mesas redondas, por exemplo, dão uma ideia de mais colaboração e eliminam possíveis barreiras imaginárias que obstaculizam o trabalho conjunto.

A luz: A iluminação é vital. Os lugares de trabalho devem sempre contar com uma luz suficiente para o que se recomenda, contar com grandes janelas que permitam passar para dentro uma grande quantidade de luz natural. Sobre a luz artificial, é importante que nenhuma lâmpada esteja coberta pelos móveis para que não apareçam pontos escuros ou desequilíbrios de luz.

Organização horizontal: O design dos “workplaces” tem que se adaptar à cultura empresarial. Menor visibilidade da hierarquia nos espaços de trabalho proporciona uma relação mais estreita entre os empregados, facilitando o fluxo de ideias e permitindo uma relação mais íntima entre eles.

Tecnologia: A tendência actual visa não só o “workplace” físico como também o digital. Procura-se uma integração entre a tecnologia e os espaços favoráveis. Ferramentas como as mensagens instantâneas entre empregados e os ambientes com multi-dispositivos permitem aos trabalhadores comunicarem entre eles de uma forma ágil e imediata.

O desenvolvimento das análises de ‘layout’ permite desde o começo administrar a optimização, a eficácia e funcionalidade na utilização quotidiana dos espaços e respectivos equipamentos. Mas, primeiro e principal, comecemos com nosso próprio espaço de trabalho individual.

Neste sentido, cada espaço deve ter uma ordem, isto é uma obrigação, pois encontrar as coisas no seu devido lugar é mais do que uma comodidade, é um dever. Comece já!