Coimbra  23 de Setembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Revisitação de Maio de 68

17 de Abril 2018

A conjugação do realismo com a exigência do impossível vai estar em foco, quarta-feira (18), na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, que acolhe uma evocação de Maio de 1968.

A França foi palco, há 50 anos, de uma vigorosa contestação estudantil, cujo alcance teve profundas repercussões na vida política e social atinente ao último meio século.

O programa inclui, pelas 09h30, uma conferência de Alain Renaud, professor de Filosofia Política na Universidade de Paris – Sorbonne, que abordará o tema “Maio de 68 em diferido: o advento da pós-modernidade”. A moderação está a cargo de Cristina Robalo Cordeiro (mentora e principal organizadora desta iniciativa).

Às 11h30, será a vez de José Rebelo proferir uma conferência, intitulada “Do poético ao político: a força da palavra em Maio de 68”, seguida de debate, moderado por Carlos Camponez.

Ao começo da tarde, será exibido um documentário sobre o Maio de 68, intitulado “Uma estranha Primavera” (Mai 68, un étrange printemps).

Pelas 15h30, terá início uma mesa-redonda, intitulada “Maio de 68 em directo: a palavra aos actores”, com intervenções de dois portugueses (ex-residentes em Paris): Hélder Costa (antigo estudante de Coimbra e director artístico da companhia de teatro “A Barraca”) e Paula Mendes Coelho (professora da Universidade Aberta), cabendo a moderação do debate ao jornalista Jorge Castilho.