Coimbra  22 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: PSP alerta para falsos bancários que burlam idosos

20 de Março 2019

A PSP de Coimbra alertou, hoje, para a ocorrência de várias burlas a idosos praticadas por um homem (ou mais) que diz ser funcionário bancário e pede o cartão de débito, por alegadamente estar danificado.

“Têm sido várias as denúncias que, em Coimbra, a Polícia de Segurança Pública tem recebido sobre a mesma burla, com o mesmo ‘modus operandi’ e o mesmo objectivo: burlar a população vulnerável”, refere o Comando Distrital da PSP.

“Um homem (ou mais), cuja descrição ainda não temos, aborda as vítimas junto das suas casas e apresenta-se como sendo funcionário de uma instituição bancária – sempre a mesma. Consegue ludibriá-las, contando-lhes que o cartão de débito que lhes pertence está danificado, ou caducado, e que os lesados lho deverão entregar, juntamente com o código PIN”, descreve a PSP.

Segundo a Polícia, “as vítimas acedem, sem desconfiar, e só mais tarde percebem que foram enganadas quando consultam o extracto bancário e detectam movimentos não autorizados”.

“Temos relatos de vítimas que lhe permitiram a entrada em casa, exponenciando, assim, ainda mais o risco associado”, alerta a Polícia, sublinhando que “apesar dos vários avisos emitidos, estas ocorrências são quase diárias e pode haver casos que não tenham sido denunciados”.

O perfil das vítimas é, também, idêntico, de acordo com a PSP: “idosos que habitam em zonas nobres da cidade, letrados e cujas características fazem crer ter algum poder económico”.

A PSP refere, ainda, que continua a desenvolver investigações no sentido de identificar o(s) autor(es) destes crimes de burla, contando com as pessoas para ajudar”.

Mais uma vez, a PSP avisa: “Nunca ceda documentos bancários ou pessoais, nem códigos associados; Não é prática das instituições bancárias recorrerem a estes meios (não têm funcionários na rua).

Perante as situações, a PSP aconselha: “Se for abordado por alguém tente refugiar-se, chamar as autoridades e contactar o seu banco; Tente chamar alguém para junto de si; Não confie cegamente em quem não conhece; O discurso e apresentação não são garantia de seriedade; Quando o interlocutor lhe é desconhecido, memorize os seus traços físicos e indumentária; Conte sempre com a sua Polícia.