Coimbra  21 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Idealmed cria centro de tratamento de doenças da tiróide

25 de Maio 2018

Luísa Barros, José Carlos Campos, Maria João Cunha, Pedro Gil Agostinho, Paula Lapa, André Lázaro e Carolina Moreno

A Idealmed, futuro Hospital da Luz Coimbra, apresentou, hoje, no Dia Mundial da Tiróide, o novo centro de tratamento das doenças da tiróide, englobando uma equipa multidisciplinar constituída por especialistas em Endocrinologia, Cirurgia Geral, Medicina Nuclear e Imagiologia.

Desde o início da sua actividade a Idealmed tem, no seu corpo clínico, todas as especialidades necessárias ao diagnóstico e tratamento das doenças da tiróide: Endocrinologia, Cirurgia, Medicina Nuclear, Imagiologia e Anatomia Patológica.

“Ao longo destes seis anos, temos trabalhado em equipa e foram já muitos os doentes que viram o seu problema de saúde resolvido integralmente na Idealmed, com a ideia de criar um centro de referência a surgir, assim, naturalmente, com o objectivo de divulgar, engrandecer e melhorar o trabalho que tem vindo a ser feito” – explica Luísa Barros, endocrinologista e responsável pelo do Centro de tratamento das doenças da tiróide.

As doenças da tiróide são muito prevalentes, afectando cerca de um milhão de portugueses. “A tiróide é de facto, de acordo com o tema do dia mundial que hoje se comemora, o ‘Painel de Controlo do Corpo’, ou seja, as hormonas que esta glândula produz têm um papel regulador em todo o organismo”, explica Luísa Barros.

De acordo com esta especialista, “quando as doenças da tiróide não são diagnosticadas e devidamente tratadas há um grande prejuízo para a qualidade de vida das pessoas”, sublinhando “a importância de existirem centros que agrupem profissionais diferenciados e experientes, bem como meios complementares de diagnóstico de excelência”.

A Idealmed destaca que é o único centro privado em Coimbra que agrupa todos estes meios, no mesmo edifício, o que “favorece o contacto entre os profissionais, encurta o tempo entre as marcações de exames, consultas e tratamentos o que se torna mais cómodo para o doente”.

Segundo Carolina Moreno, endocrinologista deste centro, o especialista nesta área está melhor preparado para diagnosticar corretamente as doenças da tiróide, muito díspares e com especificidades de caso para caso.

“Ao especialista em endocrinologia compete diagnosticar e orientar o tratamento. Para o diagnóstico, para além de ouvir e examinar cuidadosamente o doente em causa, são necessários os exames adequados a cada caso (de laboratório, exames de imagem e, menos frequentemente, de medicina nuclear)” – afirma a médica.

A maioria das doenças da tiróide são tratadas com comprimidos, em doses individualizadas, ou carecem apenas de vigilância, como é o caso dos nódulos da tiróide, após correcta exclusão de malignidade.

No caso da cirurgia, os cirurgiões que integram este novo centro, José Carlos Campos e André Lázaro, explicam que a cirurgia da tiróide pode ser necessária em casos de bócio (aumento de volume da tiroide), por um único nódulo ou multinodular, ou ainda quando a essa situação se associa hipertiroidismo.

“Os nódulos da tiróide são o motivo mais frequente de cirurgia, quer porque existe forte suspeita de cancro da tiróide ou porque essa hipótese não se pode excluir previamente. O exame anatomo-patológico da peça operatória é então crucial para delinear o adequado seguimento posterior” acrescenta José Carlos Campos.

A operação é feita com anestesia geral e implica um ou dois dias de internamento. A cicatriz, apesar de se situar numa zona visível, habitualmente é pequena e são fornecidas indicações ao doente para obter um melhor resultado. As complicações mais significativas são a rouquidão e a baixa de cálcio no sangue, que podem ser transitórias ou definitivas, mas que são raras e que podem ser tratadas. A substituição da função tiroideia envolve a toma diária de um comprimido em dose ajustada.

Em centros com apoio multidisciplinar e experiência cirúrgica é possível efectuar tratamentos cirúrgicos com o mínimo sofrimento para o doente, com resultados terapêuticos ótimos e poucas complicações.

Ainda na área da Medicina Nuclear são realizadas as cintigrafias da tiróide, exames importantes para complemento de diagnóstico de casos de hipertiroismo e em algumas situações de nódulos da tiróide.

Para Maria João Cunha e Paula Lapa, especialistas em Medicina Nuclear “muitos casos de hipertiroidismo são tratados com iodo radioactivo, radiofármaco usado desde há muitas décadas com grande eficácia e segurança. O tratamento do cancro da tiróide envolve também muito frequentemente o especialista em Medicina Nuclear” concluem.