Coimbra  18 de Outubro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Espantalhos voltam a encher o Parque de Manuel Braga

28 de Setembro 2018

Dezenas de espantalhos estão, amanhã (29), em exposição no Parque de Manuel Braga, nesta que é a 15.ª edição da iniciativa da Câmara Municipal de Coimbra, que vai decorrer entre as 10h00 e as 17h30.

“As actividades previstas são dirigidas a todas as idades, dos mais pequenos aos mais idosos, com muitas surpresas preparadas, remetendo para vivências de expressão cultural popular que fazem parte da memória colectiva”, anuncia a autarquia.

No total serão meia centena de participantes, em representação de diversas instituições e associações de carácter social e cultural de Coimbra que, “tendo como mote o espantalho, recorrem à imaginação para dar ‘corpo’ a uma multiplicidade de ‘espanta pardais’, interagindo com o público e imprimindo ao evento um cunho peculiar”, sublinha.

Esta é, também, uma forma de proporcionar um dia de convívio entre associações e visitantes, permitindo a divulgação das suas habituais actividades.

Participam entidades de índole, sobretudo, folclórica e etnográfica, instituições de carácter social e com valências de creche, jardim-de-infância, ATL e idosos, a Escola Superior Agrária de Coimbra, a Associação Integrar e o Estabelecimento Prisional de Coimbra, entre outros.

Durante o dia, para além dos espantalhos, os visitantes poderão participar em diversos jogos tradicionais (jogo do burro, pião, arco, malha, latas, roleta, corda, lenço, etc.) e a habitual animação musical, que conta com a participação do Grupo de Concertinas “Sons de Casconha” (às 10h30), a Banda Filarmónica da Associação Recreativa e Musical de Ceira (às 11h30) e o Grupo de Gaiteiros da Associação de Cultura Musical, Arte e Recreio de Condeixa (às 14h00).

O espectáculo que estará a cargo dos Xarabanecos – Grupo de Teatro de Fantoches do Ateneu de Coimbra (às 11h00), o carrossel rústico (infantil) e os passeios de burro são outros fortes motivos de atracção de público infantil.

“A relação intergeracional estará patente nesta exposição, através da recriação de uma “descamisada” (às 15h30), pelo Grupo Regional de Danças e Cantares do Mondego, que actuará após a recriação desta tradição do mundo rural de outrora que celebra o culminar das colheitas e do ciclo da “abundância”, altura do ano associada à festa, à alegria e à convivialidade das gentes que cultivam a terra.