Coimbra  14 de Agosto de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC: Movimento acusa CDU de “subserviência ao PS”

2 de Agosto 2018

O movimento “Somos Coimbra”, sobre uma polémica concessão camarária acerca de um Complexo Desportivo Integrado e Centro Olímpico de Ginástica, acusou, hoje, a CDU de “subserviência ao PS”.
“Mais uma vez, não vale a pena o PCP/CDU estar com as habituais demagogias verbais, porque o facto indesmentível é que o caderno de encargos definitivo só foi aprovado devido à ausência activa” do vereador Francisco Queirós da mais recente reunião da Câmara conimbricense, pode ler-se num comunicado.
Segundo o movimento cívico, a CDU também fez um comunicado a “desresponsabilizar-se da aprovação do indecoroso e ilegal caderno de encargos para o alegado ‘Centro Olímpico de Ginástica’”.
Ao reconhecer ter tido duas posições distintas de voto, “Somos Coimbra” graceja dizendo que a CDU “também teve duas, correspondentes a três, mas em sentido inverso”, permitindo ela a aprovação da proposta decisiva.
“Votámos contra o definitivo caderno de encargos, naturalmente, quando verificámos que o mesmo persistia como um verdadeiro logro e um frete ao(s) concorrente(s) privado(s), com gravíssimo prejuízo do interesse público, do interesse municipal e do interesse da ginástica”, opina o movimento cívico.
Para “Somos Coimbra”, a atitude da CDU assemelha-se às de presidentes de juntas de freguesias que foram à retrete para, em sede de Assembleia Municipal, não votarem o orçamento da CMC para 2018.
“Já todos perceberam ser devido ao apoio subserviente do vereador Francisco Queirós e do PCP/CDU à governação da Câmara por parte do dr. Manuel Machado e do PS, em todos os momentos verdadeiramente decisivos, que Coimbra está como está”, conclui o movimento cívico.