Coimbra  16 de Dezembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cinco previsões sobre as WSOP para 2018

25 de Maio 2018

1. Para alguns jogadores e analistas de póker, tudo parece indicar que uma normalização do “Shot Clock” poderia começar. Durante o ano de 2017 foi implementado em algumas tournées do World Póker Tour e no 888poker LIVE e aparentemente houve resultados muito interessantes, ou pelo menos, recebeu poucas reclamações.

O Shot Clocks, ou relógio de tiro, é um temporizador projetado para aumentar o ritmo e pontuação durante o jogo. E embora seja geralmente associado ao basquete, muitas outras disciplinas começaram a usá-lo. Uma das previsões para este 2018, é a possível chegada de eventos de bracelete com o Shot Clocks, o que em teoria significa mais mãos, torneios mais rápidos, menos tank para jogos televisionados (situação na que muitos jogadores demoram muito tempo por cada uma das decisões) e maior vantagem para os profissionais. Em suma, todo mundo ganha.

2. A segunda das ações que foram delineadas para melhorar a experiência de jogo e atrair mais fãs e espectadores para este ano é o Big Blind Ante. E para entender melhor sobre o que é este conceito, é necessário definir o que é “Ante”: é uma aposta obrigatória que todos os jogadores fazem. Este passo retardava os jogos de poker, especialmente se um dos jogadores olvidava de fazê-lo em cada uma das mãos. Com o Big Blind Ante, justamente quem está no Big Blind, é quem vai colocar a ante da mesa toda, evitando mal-entendidos.

3. O Action Clock também é uma modalidade que parece ter chegado, em terceiro lugar, para ficar neste 2018. A ideia dessas ferramentas é acelerar o jogo durante eventos importantes, melhorar a estrutura para que mais e mais mãos possam ser jogadas em menos tempo.

Com o Action Clock você só tem trinta segundos em contagem regressiva (medido claramente por um relógio como seu nome indica) para anunciar ou decidir um movimento. Se esta ação não for executada, sua mão é declarada morta.

Foto: Wikipedia

Foto: Wikipedia

Em meados de 2017, Matt Savage, diretor executivo do WPT, comentou: “O World Poker Tour se orgulha de ser o primeiro a implementar um Action Clock em todos os eventos do Main Tour. Muitos jogadores, tanto recreativos quanto profissionais, tem expressado que o uso de tempo indiscriminado para pensar traz pouca diversão ao jogo. O póker deve ser sempre divertido, então foi uma decisão fácil trazer o Action Clock para todos os principais eventos da tournée após o sucesso no ToC e no WPT500 de Los Angeles. Com o Action Clock, mais ação é igual a mais diversão, e quem não quer se divertir jogando pôquer?“.

4. Bitcoin é uma das moedas mais populares hoje, e o mundo do póker é obcecado por elas. Mesmo, há rumores de que há uma certa corrida para ver quem consegue lançar a primeira sala de criptomoedas. E 2018 parece ser o ano das concreções nesse aspecto.

Se você ainda não ouviu falar sobre criptomoedas… trata-se de meios digitais de troca, isto é, dinheiro virtual com valor real. Durante 2017, a frase com mais pesquisa na internet foi “como comprar e vender Bitcoins?”, o que significa que, para muitos, ainda é uma área de total ignorância. Portanto, não se preocupe, você ainda está na hora de entrar em órbita e aprender sobre Bitcoins.

Analistas especializados em economia internacional preveem que as criptomoedas serão a moeda do futuro para o póker online, de fato, alguns são encorajados a lançar conceitos como o criptopoker. No entanto, a volatilidade dessas moedas virtuais continua sendo um risco associado que muitos ainda não conseguem superar.

No início de 2017, a moeda entrou em colapso e muitos jogadores levaram as mãos à cabeça, como é o caso de Doug Polk. Situação que não surpreende muito, já que afinal de contas, ele é o chefe visível de um movimento no Youtube relacionado às moedas virtuais no qual deixou ver seu fanatismo por elas.

Foto: media.cardplayer.com

Foto: media.cardplayer.com

Por outro lado, a confiabilidade das plataformas também é um ponto de preocupação, pois é um novo paradigma em termos de segurança, levará tempo para os jogadores se atualizarem e aprenderem corretamente sobre como proteger suas contas e evitar um hack.

5. Single Re-Entry, é um sistema que permite uma reentrada no Main Event dos torneios. O objetivo desta ideia é permitir aos jogadores decidir se jogam o dia 1A duas vezes, o 1B duas vezes ou distribuir a participação uma vez no dia 1A e uma vez no dia 1B. Um dos eventos que experimentou esta metodologia foi o European Poker Tour em Monte Carlo.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com