Coimbra  20 de Março de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Ceirarte regressa com nova localização e aposta na gastronomia

30 de Maio 2018

A celebrar 27 anos de existência, a Ceirarte – Exposição e Feira de Artesanato está de regresso, entre amanhã (31) e domingo (03), à freguesia de Ceira, em Coimbra, mas este ano com nova localização, melhoria no sector expositivo e uma clara aposta na gastronomia.

A música e animação, o artesanato, a gastronomia e até o desporto são já componentes indispensáveis neste certame que, todos os anos, atrai centenas de pessoas à freguesia.

Este ano, a grande novidade é a mudança de localização, já que a feira muda-se para o recinto da Junta de Freguesia, uma área mais central e ampla. Outra das inovações prende-se com o reforço da gastronomia, no sentido de envolver, cada vez mais, todas as colectividades e associações neste certame que é uma montra do que existe em Ceira.

A Ceirarte 2018 vai receber 32 stands com expositores, aos quais se juntam oito tasquinhas dinamizadas por colectividades da freguesia. Ao Grupo Folclórico da Casa do Povo de Ceira, que sempre fez parte da tradição da Ceirarte, aliam-se outras sete associações.

Fernando Santos, presidente da Junta, explicou que este é já “um evento de referência em Ceira e na região, que “tem agora a possibilidade de crescer”. A mudança de localização permite isso mesmo, esperando o autarca que se traduza numa maior afluência de público.

“Achámos que a feira estava a morrer aos poucos e, portanto, estava na altura de mudar. Temos aqui um largo excelente, um local estratégico onde podemos ter mais stands, mais gastronomia e mais animação. A nossa primeira vontade é que aqui possamos ter o dobro dos visitantes”, afirmou.

A mudança possibilita o reforço de uma área não tão desenvolvida, como era a da gastronomia, podendo agora aumentar esse sector para “promover os produtos da terra” e “algumas das suas especialidades tradicionais, como a chanfana, o sarrabulho, as pataniscas, o arroz doce”, entre muitas outras iguarias da região, igualmente apreciadas pelos visitantes.

Quanto à área do artesanato, os expositores são provenientes de vários pontos do país, mas também da região e, particularmente da freguesia, mostrando ao público a sua arte. É o caso da tecelagem de Almalaguês, a cestaria, o barro, as rendas e bordados, os trabalhos em madeira e em vidro ou a ourivesaria.

Aos artesãos convidados juntam-se cerca de 100 ‘artistas’ que, ao longo do ano, frequentaram os Cursos Sócio-Culturais da freguesia de Ceira: costura criativa/artes manuais; bordados; tecelagem de Almalaguês; bordados e artes decorativas; pintura; reutilização de materiais; e pirogravura e artes decorativas. As formações tiveram lugar em vários locais e os trabalhos desenvolvidos ao longo do ano poderão ser apreciados durante os dias da Ceirarte, uma iniciativa que é já uma tradição.

Outro dos pontos incontornáveis da programação deste evento é o habitual Festival de Folclore do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Ceira, que celebra também a sua 27.ª edição. A iniciativa realiza-se no sábado (02), pelas 21h30, e vai contar com quatro grupos, para além do anfitrião: Mondadeiras da Casa Branca (Sousel, Alto Alentejo); Rancho Folclórico As Tecedeiras da Bidoeira de Cima (Leiria); Rancho Folclórico da Ribeira da Santarém (Ribatejo) e o Rancho Folclórico Passos de Sousa (Penafiel).

José Leal, da direcção do Grupo de Ceira, garantiu que esta será “uma noite de folclore, etnografia e muita tradição e animação”.

A V Milha de Ceira (amanhã), a III Caminhada Solidária, a aula de zumba, e os espectáculos com a Banda Red, os Fonte da Pipa ou os Combos da Escola de Música da Associação são outros dos atractivos da Ceirarte 2018.

O presidente da Junta Fernando Santos realçou que “esta é uma feira com uma oferta muito diversificada, tanto em termos de gastronomia como de artesanato”.

Durante a apresentação do evento, Francisco Paz, em representação da Câmara Municipal de Coimbra, felicitou a Junta e restantes parceiros por esta realização, que sofre agora um novo impulso e que é “uma montra da diversidade que o país tem em termos culturais”, tanto a nível do folclore como no sector do artesanato.

Venha conhecer a arte e os sabores da nossa terra”

O slogan que, este ano, caracteriza a Ceirarte quer, precisamente, dar a conhecer ao público em geral o que de melhor se faz e tem esta freguesia de Coimbra. E se a gastronomia e o artesanato são as principais atracções, o desporto também é uma componente já tradicional do certame.

O Convívio da Pesca “Um dia no Ceira” é a primeira actividade da Ceirarte, amanhã (31), a partir das 09h00. Mais à tarde, pelas 18h30, realiza-se a V Milha de Ceira, que vai contar com cerca de 250 atletas, de todos os escalões activos, desde os benjamins aos veteranos, sendo que é organizada pela Secção de Atletismo do Centro Popular de Sobral de Ceira.

Para domingo (03), a partir das 09h00, tem início a III Caminhada Solidária “O que nos Liga”, promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro. Às 11h15 a música alia-se ao desporto com uma divertida aula de zumba.

A abertura solene da Ceirarte está prevista para amanhã, pelas 15h30, seguindo o programa com a distribuição dos diplomas dos cursos socioculturais da freguesia (16h00) e mais à noite, pelas 21h30, um momento de teatro com a peça “Memórias que unem avós e netos”, pela companhia Psique Teatro-Associação Cultural e Social.

Na sexta-feira (01), o certame reabre às 19h00, numa noite em que estarão em destaque o Sarau da Celium (21h00) e a Banda Red (23h00).

No sábado (02), a feira abre às 15h00 e, a partir das 21h30, tem início o tradicional Festival de Folclore. Domingo (03), além da componente desportiva, é o talento dos Combos da Escola de Música da ARMC e dos Fonte da Pipa que irão animar o recinto e dar por encerrada mais uma edição da Ceirarte.