Coimbra  26 de Setembro de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cáritas de Coimbra apresentou Unidade Móvel de Medicina de Reabilitação

7 de Setembro 2018

O terapeuta Joaquim Paulo Fonseca e o padre Luís Costa, da Cáritas de Coimbra, apresentaram a Unidade Móvel

 

A Cáritas Diocesana de Coimbra e o terapeuta Joaquim Paulo Fonseca viram, ontem (06), o seu desejo de muitos anos ser realizado com a  apresentação da Unidade Unidade Móvel de Medicina Física e Reabilitação da Clínica Rainha Santa Isabel, da Cáritas.

Este equipamento, que está integrado no projecto “Fisio Em Movimento”, da referida clínica, está agora pronto a percorrer os caminhos que levarão estes cuidados a quem deles mais necessita e mais dificuldade tem em se deslocar ao centro da cidade.

No camião, com cerca de 30 metros quadrados e três “gabinetes”, vão trabalhar em permanência dois fisioterapeutas, um auxiliar e um administrativo, recebendo ainda a visita de um médico regularmente. A previsão é de, por dia, possam ser tratadas entre 35 e 40 pessoas.

Numa primeira fase (e ainda sem data definida), a Unidade Móvel irá até ao concelho de Penacova, onde permanecerá entre seis a oito meses, “o período indicado para completar dois ciclos de tratamentos”. De seguida, o camião irá instalar-se nas freguesias mais a Norte do concelho de Coimbra, locais com mais dificuldade de deslocação.

“A essência deste projecto foi as pessoas terem acreditado nele”, explicou, emocionado Joaquim Paulo Fonseca, aquando da apresentação da Unidade Móvel. O terapeuta disse que o objectivo principal é que esta Unidade “ajude muito e muitos”, indo “até aos locais onde as pessoas não se podem deslocar” e acreditando que “terá sucesso”.

Nas palavras do padre Luís Costa, da Cáritas Diocesana de Coimbra, este é um projecto “de descentralização, flexível e escalonado, direccionado para os mais idosos e para os cuidados básicos de reabilitação”. A Unidade é, também, um “complemento ao que já se faz na Clínica Rainha Santa”, sublinhou Luís Costa, acrescentando que a concretização deste projecto “só foi possível pela boa vontade e resiliência de muitos recursos, quer empresariais como de particulares”, como o caso da família Calvão da Silva, e em particular a João Calvão da Silva (falecido em Março), a quem foi prestado um tributo pela sua dedicação a este projecto.

A Unidade Móvel “única e inovadora” tem como principais objectivos a “mobilidade e proximidade”; “a democratização no acesso aos cuidados de reabilitação a quem reside fora dos centros urbanos”; “a redução de custos directos para os utentes, nomeadamente de tempo e dinheiro; bem como a “possibilidade de replicação deste projecto, quer a nível regional como nacional”, realçou o pároco.

O terapeuta Joaquim Paulo admitiu, ainda, que a replicação da Unidade Móvel “é uma das ideias” para o futuro, sendo este “o primeiro passo para potenciar o projecto e até criar polos mais pequenos”.

Na apresentação da Unidade Móvel esteve, ainda, presente o reputado médico Norberto Canha, que fez questão de realçar o projecto como “uma iniciativa ímpar, que pode ser levada para outras vertentes, como as doenças crónicas”.

Esta Unidade Móvel, licenciada pelo IMTT e pela Entidade Reguladora da Saúde, vem no seguimento da abertura de um polo da Clínica Rainha Santa, nas instalações da Junta de Freguesia de Antanhol, em Fevereiro deste ano.

O equipamento teve, recentemente, uma “prova de fogo” durante os Jogos Europeus Universitários, altura em que recebeu mais de 400 atletas em 15 dias.

Unidade Móvel Cáritas

 

Interior Unidade Móvel Cáritas