Coimbra  14 de Agosto de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cantanhede: Câmara financia enfermagem onde não há extensões de saúde

9 de Fevereiro 2018

A Câmara Municipal de Cantanhede vai assegurar o funcionamento de postos de atendimento de cuidados de enfermagem em locais do concelho onde faltam extensões de saúde, segundo anunciou, hoje, a autarquia.

Pocariça, Cordinhã, Camarneira, Portunhos, Outil, Sanguinheira e Ourentã são os locais onde vão avançar os postos de enfermagem, mediante protocolo aprovado pelo executivo municipal e a celebrar com as respectivas juntas de freguesia e com a Administração Regional de Saúde do Centro, para vigorar até 2021.

De acordo com o Município, a presidente da Câmara, Helena Teodósio, já comunicou à Administração Regional de Saúde o interesse em avançar com o alargamento da rede de postos de atendimento de cuidados de enfermagem a S. Caetano, Vilamar e Corticeiro de Cima, “onde já existiram extensões de saúde e foram encerradas, mas sobretudo porque há um número de utentes potenciais que o justificam”.

“Os postos de enfermagem têm sido um importante complemento da rede de cuidados de saúde, pois ao funcionarem numa lógica de proximidade com as populações, sobretudo para os mais idosos, facilitam o acesso à prestação de determinados serviços, como a aplicação de injectáveis ou pensos, avaliação de tensão arterial, pesquisa da alteração da glicémia, preparação da dosagem de medicamentos e outros”, refere a autarquia.

Nos acordos a celebrar oportunamente, o Município de Cantanhede atribui uma verba para fazer face aos custos da contratação dos serviços de enfermagem pelas juntas de freguesia, cabendo a estas ceder as instalações onde funcionam os postos de cuidados de enfermagem e a respectiva manutenção e limpeza.

Para que a Câmara Municipal proceda à transferência da verba acordada, as juntas têm que lhe fazer chegar, mensalmente, um mapa, com as horas efectuadas pelo enfermeiro contratado, o número de utentes atendidos e o tipo de serviços efectivamente prestados.

Quanto à Administração Regional de Saúde, para além de lhe competir a certificação das condições higieno-sanitárias, a sua participação no processo passa pela cedência de consumíveis necessários à boa prestação dos serviços de enfermagem, garantindo a reposição na medida do consumo efectuado.

Nos termos do protocolo, a actividade dos postos de atendimento de cuidados de enfermagem seguirá os mesmos critérios adoptados nas extensões de saúde, ficando a coordenação a cargo da ARS do Centro.