Coimbra  14 de Agosto de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Aviação civil: Governo sujeita base de Monte Real a estudo

8 de Agosto 2018

O Governo ordenou a criação de uma comissão incumbida de estudar a hipótese de abertura da Base Aérea de Monte Real à aviação civil, acaba de revelar o presidente da Câmara Municipal de Leiria.
Tal cenário, que prevalece há décadas, mereceu, em meados dos anos 80 [do século XX], o empenho do então vice-primeiro-ministro Carlos Mota Pinto, natural de Pombal e professor universitário em Coimbra.
O líder do Município leiriense, Raul Castro, e o presidente da Câmara da Figueira da Foz, João Ataíde (ambos eleitos pelo PS), reuniram-se, há dias, com os ministros da Defesa e do Planeamento e Infra-estruturas, respectivamente, Azeredo Lopes e Pedro Marques.
“Portadores de grande expectativa sobre o que iria ser o resultado da reunião”, segundo Raul Castro, os dois autarcas tomaram conhecimento, “entre um conjunto de justificações, de que é chegado o momento de se dar o passo (…) para nomeação de uma comissão”, disse o edil leiriense.
As conclusões do grupo de trabalho, a completar no próximo mês, são esperadas até ao final do corrente ano.
Para Setembro a Câmara Municipal de Coimbra prometeu uma posição mais bem fundamentada acerca da eventual transformação do aeródromo de Bissaya Barreto em infra-estrutura aeroportuária de maior envergadura.
Munido de um estudo recentemente encomendado pela CMC, Manuel Queiró irá concluir o seu trabalho sobre a “revisão estratégica dos planos municipais para a mobilidade aérea”.
A autarquia e a Associação para o Desenvolvimento da Engenharia Civil outorgaram um contrato que habilita a ACIV a pronunciar-se sobre uma “solução técnica e cálculo de custos com vista a expansão da pista do aeródromo” de Antanhol e Cernache.
A Câmara conimbricense destinara, há cinco meses, 20 000 euros à “revisão estratégica dos planos municipais para a mobilidade aérea”, depois de o presidente, Manuel Machado (PS), ter ignorado a pretensão do vereador José Manuel Silva (movimento “Somos Coimbra”) em aceder ao dossiê da eventual transformação do aeródromo de Bissaya Barreto em aeroporto.
Para o estudo a cargo da ACIV, na sequência de procedimento pré-contratual de ajuste directo, a autarquia desembolsa 22 000 euros.
No dia da sua tomada de posse, em Outubro [de 2017], o líder do Município de Coimbra voltou a acenar com um aeroporto internacional, dizendo tratar-se de “um projecto a iniciar de imediato, partindo de estudos que a Câmara encomendou e pagou, noutros períodos”, sem que lhes haja sido dada sequência.
Manuel Queiró, anterior presidente da CP, engenheiro civil, ex-secretário-geral do CDS e antigo deputado à Assembleia da República, foi líder de um “fórum” que preconizava a abertura da base aérea de Monte Real à aviação civil.