Coimbra  20 de Abril de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“ArtEnergy” vai valorizar espaço urbano da Pedrulha

8 de Abril 2019

 O presidente da Junta da UFC, ladeado por José Manuel Cardoso (EDP) e Cláudia Antunes

 

Valorizar o espaço urbano da Pedrulha é um dos objectivos, divulgados hoje, da proposta que triunfou no âmbito de uma consulta popular sobre o orçamento participativo da União de Freguesias de Coimbra (UFC).
Outro objectivo do projecto ArtEnergy, cuja conclusão está prevista para Setembro, prende-se com o fomento da integração social na comunidade local.
Segundo a arquitecta Cláudia Antunes, a iniciativa, apoiada pela EDP Distribuição, visa recriar o antigo dinamismo industrial da Pedrulha.
Um concurso, a que as pessoas interessadas podem apresentar candidaturas até 02 de Junho, vai apurar as melhores propostas de intervenção artística em 22 armários de distribuição de energia eléctrica sitas nas ruas de 1º. de Maio e de 04 de Julho.
As propostas devem ser enviadas para a UFC, através de correio electrónico ( ufcoimbra@gmail.com ).
O júri é composto por João Francisco Campos (presidente da Junta da União de Freguesias de Coimbra), Cláudia Antunes, António Rafael Ferreira (designado pela EDP), Fly Pontes (artista plástico) e Fernando Oliveira Duarte (ex-trabalhador de uma empresa pedrulhense).
Após decisão do júri, realizar-se-á uma exposição aberta ao público.
De acordo com João Francisco, o projecto aspira a fortalecer “os laços de bairro”, através de uma acção artística em prol da qualidade de vida urbana.
“O passado da Pedrulha também faz parte da História da EDP”, assinalou, em conferência de Imprensa, o engenheiro da empresa José Manuel Cardoso.
A Pedrulha foi, em tempos, uma zona industrial com alguma relevância para a cidade de Coimbra, na medida em que se tratou da primeira grande área delimitada para implantação de actividades do sector secundário.
Vicissitudes levaram a que muitas das empresas ali instaladas (Triunfo, Estaco, Fábrica da Cerveja, Termec e Fiaco) tenham desaparecido.
“A Pedrulha industrial foi sendo esquecida e a zona habitacional está a ir pelo mesmo caminho, pois, nada se tendo feito, existe uma falta de valorização do Município de Coimbra por esta zona e a própria comunidade vai perdendo raízes e valores”, disse fonte autárquica ao “Campeão”.
“ArtEnergy” visa dar nova “vida” a armários da EDP no sentido de as ruas de 04 de Julho e de 1º. de Maio se assumirem como “cartão de visita” do bairro.
Os registos fotográficos e videográficos das intervenções passarão a fazer parte do arquivo de imagens da UFC.