Coimbra  22 de Julho de 2018 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

ACM: Secção de Judo/Ju -Jitsu celebra 30 anos a formar campeões

13 de Abril 2018

A secção de judo/jiu-jitsu da Associação Cristã da Mocidade (ACM) assinalou, a 11 de Abril, o seu 30.º aniversário, mas as celebrações só terão lugar amanhã (14), no Campo Conde de Foz de Arouce.

Falar da secção de judo/ju-jitsu da Associação Cristã da Mocidade (ACM) é falar de campeões, europeus, nacionais, regionais e até mundiais. Uma secção ainda “jovem”, mas que conta já com quatro presenças nos Jogos Olímpicos.

O segredo, na opinião do seu timoneiro, Fausto Carvalho, é tão somente “o trabalho, o compromisso, a exigência e o querer” e, nestes 30 anos, o balanço não podia ser mais positivo.

Embora a história da secção tenha começado há mais de 50 anos, no início dos anos 60, é a segunda fase da vida desta modalidade na ACM.

Nos seus primórdios, o judo da ACM acolheu os atletas que passaram a praticar a modalidade na instituição depois do encerramento das instalações da Associação Académica de Coimbra (AAC), devido à crise dos estudantes de 1962, que teve lugar em Lisboa mas repercussões em Coimbra.

A segunda e gloriosa fase da secção de judo começou décadas depois, a 11 de Abril de 1988, pelas mãos de Fausto Carvalho, que ainda hoje coordena a modalidade na Associação.

Em retrospectiva, o responsável admite que, no início, não imaginava os feitos conseguidos ao longo destas três décadas e que têm levado o nome da ACM além-fronteiras.

“Os miúdos foram crescendo, atingindo idades para participar em provas e começaram a dizer que gostavam de experimentar”, explica Fausto Carvalho, adiantando que, pouco tempo depois de darem início à actividade “já tinha de dar resposta a estas solicitações”, uma altura em que “foi sempre a olhar para a frente, porque as exigências eram muitas”.

A exigência e sacrifício são, precisamente, as palavras de ordem para quem quer vencer nesta modalidade e, com isso, “foi possível alcançar-se coisas que eram inimagináveis”, sublinha o também judoca.

No currículo, a secção de judo/ju-jitsu da ACM tem a presença em três Jogos Olímpicos (1992, 2000, 2004 e 2008), além de diversas medalhas de campeões regionais, nacionais, europeus e subidas ao pódio nos campeonatos do mundo.

Aniversário será celebrado com torneio de judo

Como tem sido hábito, nos aniversários e não só, judocas, pais e dirigentes juntam-se num convívio muito especial, no Campo de Foz de Arouce, na Lousã, que terá lugar amanhã (14).

O torneio é já um marco importante na história da secção, juntando atletas da Associação Cristã da Mocidade e não só, cuja principal finalidade é o bom convívio entre todos.

“Procuramos garantir sempre cerca de 10 equipas, numa competição que se destina a judocas entre os cinco e os 15 anos – benjamins, infantis, iniciados, juvenis e primeiro ano de cadetes”, explicou Fausto Carvalho, admitindo que a expectativa é chegarem à centena para que a festa seja ainda maior.

Neste torneio está já confirmada a presença de clubes de Gouveia, Viseu e Aveiro, sendo que a competição tem a componente de ser formação desportiva.

A programação para este dia tão especial tem início às 09h30, com a concentração, o sorteio realiza-se às 10h00 e o torneio está previsto começar às 10h30.

Segue-se, depois, um almoço convívio, importante para o dirigente, na medida em que vão marcar presença “os competidores e os seus responsáveis técnicos, mas também os seus pais e famílias, muita gente que se junta para este momento”, adianta Fausto Carvalho, admitindo que é um lugar muito especial para todos, “por ser muito bonito e que proporciona o convívio entre as pessoas que já se conhecem e se dão muito bem”.

Para os vencedores há medalhas e para os seus clubes que representam taças comemorativas.

Além de desportistas, o foco é na formação dos atletas enquanto cidadãos

Nos tempos áureos da secção, o judo da ACM chegou a acolher 150 atletas, num ritmo bastante acelerado de provas e competições. Hoje, com a expansão da modalidade e os desígnios da vida de cada um, a secção de judo/ju-jitsu da ACM conta com perto de 100 judocas, alguns com muitas qualidades e potencialidades.

“A partir de 2010 há uma nova fase e foi-se tentando recomeçar e reconstituir, não apenas no aspecto desportivo, mas também de convívio e principalmente na formação dos jovens”, salienta Fausto Carvalho.

A vertente de competição não desapareceu da ACM, até porque nunca deixaram de participar em provas, contudo, a vocação agora é para a “formação”, com praticantes desde os quatro até mais de 70 anos, em todos os escalões e de todas as graduações.

“A formação dos nossos judocas, no âmbito da competição, e não só, abrange todas as áreas que englobam a construção do cidadão e do desportista”, refere. O judo, além da parte desportiva mais dura, que prepara os atletas para a competição, tem mais-valias que outras modalidades não conseguem oferecer aos praticantes.

“Dá-nos bastante auto-confiança, à medida que vamos conhecendo e desenvolvendo os detalhes da modalidade”, afirma o mestre de judo, que salienta ainda a “disciplina forte” que é incutida no atleta, “que pode ser aplicada em relação a outras pessoas, mas também a elas próprias, o que leva os judocas a ser auto-disciplinados e determinados”. Até porque, para Fausto Carvalho: “é nos detalhes que se alcançam grandes êxitos”.

Outra das características do judo, e que é comum à maioria dos desportos, prende-se com o convívio entre todos, algo que o coordenador da secção sempre procurou desenvolver junto dos seus alunos.

“Nos períodos de menor exigência, quando as provas atenuam, fazemos outro tipo de trabalho e convivemos em almoços e jantares, fazemos encontros, etc.”, esclarece.

ACM em destaque a nível nacional e internacional

A ACM, para além de formar campeões, também tem o ‘condão’ de levar os judocas a altos cargos, quer a nível nacional como internacional.

Em Janeiro deste ano chegou a notícia de mais uma distinção para o judo da Associação Cristã da Mocidade (ACM), com o reconhecimento do mestre Fausto Carvalho como “Personalidade do Ano, pela Confederação do Desporto de Portugal.

Esta foi a 22.ª edição da Gala do Desporto, na qual foram premiados os agentes desportivos com “desempenho de excepcional valor e que mais se distinguiram ao longo do ano de 2017”.

Fausto Carvalho chegou à mais alta graduação do judo – 8.º Dan – em Outubro do ano passado, pela Federação Portuguesa de Judo, passando a ser um dos três que são detentores de tal título.

Para além de judoca experiente e coordenador da secção de judo/ju-jitsu da ACM, Fausto Carvalho dedica-se à presidência da Associação e ao mesmo cargo na Comissão Nacional de Graduações.

A levar o nome da ACM além-fronteiras está, também, o judoca e árbitro mundial Nuno Carvalho, que faz parte de uma elite internacional do judo. O também dirigente desta secção da ACM é, ainda, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Judo (FPJ) e presidente da Comissão de Arbitragem da União Europeia de Judo.

O quadro de honra da secção de judo /ju-jitsu da ACM inclui, ainda, Sandra Godinho (atleta que levou o nome da Associação aos Jogos Olímpicos), que é presidente da Mesa da Assembleia Geral da FPJ. César Nicola, outro nome incontornável da ACM, integra a Comissão Nacional de Graduações. Também Jorge Fernandes, que foi durante anos judoca da ACM, é hoje presidente da Direcção da FPJ.

“O judo na ACM não fez apenas campeões, nem apenas dirigentes, porque mesmo dentro dos campeões fez grandes dirigentes”, sublinha o responsável.

No futuro, Fausto Carvalho espera que os próximos responsáveis por esta secção emblemática da ACM “deem sequência a este projecto e com certeza que terão condições, quer logísticas, quer ao nível do equipamento, para fazer um bom trabalho e dar continuidade ao que se tem vindo a desenvolver e até melhorá-lo”.

A secção de judo na ACM tem como timoneiro, desde há 30 anos, o mestre Fausto Carvalho

A secção de judo na ACM tem como timoneiro, desde há 30 anos, o mestre Fausto Carvalho